terça-feira, 20 de outubro de 2020

DIAMOND FILMES DIVULGA CARTAZ DE DESTRUIÇÃO FINAL




A diamond Films marca o seu retorno aos cinemas em 19 de Novembro com uma das produções mais aguardadas de 2020, ‘Destruição Final: O Último Refúgio’ (Greenland). O pôster apresenta o tom eletrizante do filme-catástrofe estrelado por Gerard Butler e Morena Baccarin.



CONFIRA O TRAILER

Em ‘Destruição Final: O Último Refúgio’, Butler é John Garrity, um homem que fará de tudo para salvar sua esposa (Morena Baccarin) e seu filho (Roger Dale Floyd) do fim do mundo, que se aproxima com a chegada de um cometa à Terra. O filme acompanha a luta da família para sobreviver em meio à busca de um refúgio seguro.

Dirigido por Ric Roman Waugh (“O Acordo”, “Invasão ao Serviço Secreto”), ‘Destruição Final: O Último Refúgio’ tem roteiro de Chris Sparling (“Enterrado Vivo”) e distribuição da Diamond Films.

Sobre a Diamond Films - A Diamond Films é a maior distribuidora independente da América Latina. Fundada em 2010, se destaca por distribuir os melhores filmes independentes da indústria cinematográfica. Atualmente, a empresa atua em sete países da América Latina: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Peru e México. No ano de 2016 começou a atuar no mercado europeu, por meio da sua filial na Espanha. No Brasil desde 2013, a Diamond Films distribuiu títulos como 'Os Oito Odiados'; 'Lion - Uma Jornada para Casa', ‘Moonlight - Sob a Luz do Luar', 'Valerian e a Cidade dos Mil Planetas' e 'Green Book - O Guia'.

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

PREMIADO FILME "MEU EXTRAORDINÁRIO VERÃO COM TESS" RETORNA AO CINEMA VIRTUAL

     

Títulos ficam disponíveis com preço promocional

Neste mês, a plataforma de streaming Cinema Virtual exibe o “Festival Cinema pelo Mundo”, com produções de diversos países que ressaltam a riqueza de culturas diferentes no mundo globalizado. Na terceira semana de programação, entre os dias 22 e 28 de outubro, quatro filmes entram em cartaz: “Meu Extraordinário Verão com Tess”, "Ana", "A Escolha" e “SNU – A História de Amor que Mudou Portugal”.  

O destaque é "Meu Extraordinário Verão com Tess", uma comédia dramática holandesa que venceu o prêmio de Melhor Filme - Menção Especial no Festival de Berlim de 2019 e participou da 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2019. O diretor Steven Wouterlood venceu o Emmy em 2015 pelo seu filme "Anything Goes". Cada sessão do festival, válida por 72 horas em até três dispositivos, custa R$19,90.

O Cinema Virtual é uma plataforma de streaming que tem a proposta de conectar distribuidores e exibidores para levar virtualmente e com exclusividade filmes inéditos ao público de cinema. O projeto segue o modelo dos cinemas físicos, com estreias todas as quintas.

Confira abaixo todos os detalhes da programação do festival:  

16 a 28 de Outubro  

 “O Pássaro Pintado” (The Painted Bird) – Drama – 169 minutos - República Tcheca

Sinopse: Em uma área devastada pela Segunda Guerra Mundial, um jovem garoto judeu é enviado por seus pais para viver em segurança com sua tia. Mas ela morre inesperadamente e, na tentativa de voltar para casa, ele passa a vagar sozinho em um mundo selvagem e hostil, dominado por camponeses supersticiosos e soldados implacáveis. Quando a guerra finalmente acaba, sua batalha pela sobrevivência toma um novo rumo.

Direção: Václav Marhoul

Roteiro: Václav Marhoul

Elenco: Alla Sokolova, Michaela Dolezalová, Nina Sunevic 


“O Sonho de uma Família” (Magari) – Drama – 104 minutos – Itália, França

Sinopse: A história de uma família dividida, vista pelo olhar da jovem Alma, de 9 anos, e de seus dois irmãos mais velhos. A mãe, uma francesa rica e tradicional, e o pai, um italiano falido, ausente e nada convencional, se divorciaram há anos. As crianças vão passar alguns dias com o pai na Itália, e ele não faz ideia de como cuidar de si, quanto mais dos filhos. A situação é complicada, mas, apesar das dificuldades e tensões diárias, a pequena Alma continua a acreditar que um dia, talvez, a sua família possa a ficar junta novamente.

Direção: Ginevra Elkann

Roteiro: Chiara Barzini, Ginevra Elkann

Elenco: Riccardo Scamarcio, Alba Rohrwacher, Milo Roussel

 

“O Garoto do Leito 6” (Bed Number 6) – Suspense, Terror – 117 minutos - Itália

Sinopse: Bianca, uma jovem médica, é contratada para trabalhar no turno da noite de uma clínica pediátrica. Logo, ela descobre que o local, um antigo hospital psiquiátrico, esconde um aterrorizante segredo. Algo aconteceu com o paciente do leito número 6. Perseguida por uma assombração, Bianca começa a enlouquecer, e agora sua única saída é desvendar esse mistério.

Direção: Milena Cocozza

Roteiro: Michelangelo La Neve, Antonio Manetti e Marco Manetti

Elenco: Andrea Lattanzi, Carolina Crescentini, Nathalie Caldonazzo, Pier Giorgio Bellocchio, Roberto Citran

 

“Meu Amigo Robô” (Robo) – Aventura, Ficção Científica, Família – 90 minutos - Rússia

O menino Mitya, de 12 anos, sonha em escrever histórias em quadrinhos de super-heróis, mas seus pais, engenheiros de robótica, querem que ele siga a mesma carreira que eles. Até que inesperadamente Mitya encontra uma amizade verdadeira no robô de resgate criado por seus pais, A-112, que ele chama apenas de Robô. Os dois vivem grandes aventuras enquanto Robô aprende a acreditar em si mesmo e em seus sonhos, ao mesmo tempo em que ensina Mitya sobre coragem e responsabilidade.

Direção: Sarik Andreasyan

Roteiro: Aleksey Gravitskiy, Sergey Volkov

Elenco: Daniil Izotov, Vladimir Vdovichenkov, Sergey Bezrukov


22 a 28 de Outubro

“Meu Extraordinário Verão com Tess” (My Extraordinary Summer with Tess) – Comédia, Drama - 102 minutos - Drama - Holanda

Sinopse: Com medo de ficar sozinho no futuro, o jovem Sam, de 10 anos, inicia uma espécie de treinamento de solidão durante as férias de sua família em uma ilha holandesa. Mas seu plano toma rumos inesperados quando ele conhece a sonhadora Tess e uma amizade especial surge entre os dois. Sam aceita ajudar a menina em seu plano para encontrar o pai desconhecido, mas uma decisão crucial coloca sua amizade com Tess em risco e muda a vida de ambos para sempre.

Direção: Steven Wouterlood

Roteiro: Laura van Dijk

Elenco: Sonny Coops Van Utteren, Josephine Arendsen, Julian Ras

 

“Ana” (Ana) – Comédia, Drama - 105 minutos - Estados Unidos, Porto Rico 

Sinopse: Em Porto Rico, após um devastador furacão, uma amizade inesperada surge entre Ana (Dafne Keen), uma menina cuja mãe está na prisão, e Rafa (Andy Garcia), um vendedor de carros falido. Após se encontrarem por acaso, os dois embarcam em uma longa jornada cheia de desafios para tentar encontrar um lar para Ana e salvar Rafa do colapso financeiro.

Direção:  Charles McDougall

Roteiro: Cris Cole

Elenco: Andy Garcia, Dafne Keen, Jeanne Tripplehorn 

“A Escolha” (Take It or Leave It) – Drama - 102 minutos - Estônia

Sinopse: Numa manhã de sábado, Erik, um trabalhador da construção civil, recebe notícias surpreendentes: sua ex-namorada Moonika está prestes a entrar em trabalho de parto. Ela, no entanto, não está pronta para a maternidade, e agora Erik deve se decidir se fica com a criança ou a leva para adoção.

Direção: Liina Trishkina

Roteiro: Liina Trishkina

Elenco: Reimo Sagor, Nora Altrov, Emily Viikman |


  “SNU – A História de Amor que Mudou Portugal” (SNU) – Romance – 94 minutos - Portugal

Sinopse: Uma mulher irreverente e um homem preso às aparências por pressão profissional. Snu Abecassis e Sá Carneiro, ex-primeiro ministro português, vivem uma difícil realidade e um amor impossível. Eles tentam de tudo para ficarem juntos e o destino os faz companheiros para toda eternidade.

Direção: Patrícia Sequeira 

Roteiro: Claudia Clemente, Patrícia Sequeira

Elenco: Inês Castel-Branco, Inês Rosado,  Maria João Pinho, Nádia Santos, Pedro Almendra, Rodrigo Tomás, Simon Frankel

   

18ª EDIÇÃO DO CURTA SANTOS TEM INSCRIÇÕES ABERTAS

 

 

18ª EDIÇÃO DO CURTA SANTOS – FESTIVAL DE CINEMA DE SANTOS
SERÁ ONLINE 

Realizadores de todo país podem encaminhar suas
produções por meio do site www.curtasantos.com.br

O Curta Santos – Festival de Cinema de Santos (SP) atinge sua 18ª edição em
2020 e abre inscrições para curtas-metragens e videoclipes de todo o país de 19
de outubro a 15 de Novembro.
 
Realizadores poderão inscrever suas obras exclusivamente por meio do
formulário disponível no site do festival: www.curtasantos.com.br, onde
também é possível acessar o regulamento completo.
 
Pela primeira vez, em virtude das medidas de distanciamento social para
contenção da pandemia da Covid-19, o festival será integralmente transmitido
online, por meio de seu canal oficial no Youtube (/festivalcurtasantos), entre os
dias 14 e 20 de Dezembro de 2020.
 
Mostras oficiais e especiais, oficinas e bate-papos formam a programação, que
será divulgada em algumas semanas, após o processo de curadoria.
 
Para as mostras oficiais, serão selecionados ao todo 36 curtas-metragens e 20
videoclipes, sendo: 18 curtas para o recorte da produção nacional, a mostra Olhar
Brasilis; 18 curtas destinados a representar a produção da Baixada Santista, na
mostra Olhar Caiçara; e, da mesma forma, 10 videoclipes para a mostra
Videoclipe Brasilis e outros 10 para a mostra Videoclipe Caiçara.

Os curtas devem ter até 20 minutos de duração e os videoclipes, uma música.

CURTA SANTOS - O FESTIVAL
 
Há 18 anos o Curta Santos promove, exibe, discute, valoriza e difunde a
importância do audiovisual brasileiro, propondo um diálogo entre a produção
nacional e os realizadores do litoral paulista. Com isso, fortalece o polo de
produção caiçara, além de formar e sensibilizar o público para o filme curto.
 
Historicamente o festival busca reverberar uma produção inquieta, sem
amarras, livre nas suas formas de expressão e linguagem estética e de gêneros,
abarcando novos formatos, gerando novas posturas, abordagens, análises e
conteúdo. Assim, celebra a produção independente e lança um olhar mais
acurado para que sua realidade seja entendida.
 
18º CURTA SANTOS | FESTIVAL DE CINEMA DE SANTOS
INSCRIÇÕES PARA FILMES DE TODO PAÍS:
De 19 de Outubro a 15 de Novembro de 2020.
Exclusivamente pelo site www.curtasantos.com.br

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

FILMES SOBRE O OLHAR FEMININO SEGUEM EM CARTAZ NO CINE CPFL

Programação conta com 4 longas-metragens com acesso online e gratuito, via Looke

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é oGt-josJDcf15yUaRjIUV69b4Z3oS8OWCL4pvJGNoKBup5uh7p1fYmH16y4y0AajxqjhGn_YB2VG8KuUMswE18V5iA_KGNOqoDRKLpnNOyrTgY-eFFc_iaHka-CURA

Cena de “A câmera de Claire”/Divulgação.

A programação do Cine CPFL segue com a Mostra Cinema e Reflexão com a temática “O olhar feminino nas cidades contemporâneas”. Os longas estão disponibilizados na plataforma brasileira Looke, com acesso gratuito para todo o território brasileiro pelo endereço www.mostracinemaereflexao.com.br até o dia 30/10.

São quatro títulos programados: “A Câmera de Claire” (Coreia do Sul/França), de Hong Sang-soo, “Deus é Mulher e Seu Nome é Petúnia” (Macedônia/Bélgica/Eslovênia/França/Croácia), de Teona Strugar Mitevska, “Perdidos em Paris” (França/Bélgica), de Dominique Abel e Fiona Gordon e “Quando Margot Encontra Margot” (França), de Sophie Fillières.

Vencedor do Prêmio do Júri Ecumênico e do no Festival de Berlim, “Deus é Mulher e Seu Nome é Petúnia” (“Gospod Postoi, Imeto i' e Petrunija”, 100 min, 2019, 14 anos) aborda ritual que ocorre no dia 19 de janeiro em cidades da Macedônia. Nesse evento, o pároco mais importante de cada localidade lança uma cruz no rio, e centenas de homens mergulham para alcançá-la, sob a promessa de que assim terão felicidade e prosperidade durante o ano. A diretora da Macedônia Teona Strugar Mitevska revelou-se mundialmente em 2004, com “How I Killed a Saint”, vencedor do Festival de Roterdã. Já dirigiu cinco longas-metragens, todos de circulação no circuito internacional de festivais.

Perdidos em Paris” (“Paris Pied Nus”, 83 min, 2016, 12 anos) conta a história de Fiona, bibliotecária de uma pequena cidade canadense que recebe uma aflita e angustiada carta de sua tia Marta, uma senhora de 93 anos que vive sozinha na cidade de Paris. Sem pestanejar, Fiona embarca no primeiro avião rumo à capital francesa para descobrir que Martha desapareceu. O filme venceu o prêmio do público no Festival de Mill Valley (EUA), o de melhor montagem nos prêmios Magritte (Bélgica) e o Rare Pearl Award, no Festival de Denver (EUA). 

Assinado pelo cineasta Hong Sang-soo, “A Câmera de Claire” (“La Caméra de Claire”, 69 min, 2017, 12 anos) focaliza o encontro casual entre duas mulheres durante o festival de cinema na cidade francesa de Cannes. Manhee é uma agente de filmes, recém demitida por sua chefe sem explicações, enquanto que Claire é uma professora de música apaixonada por eternizar momentos com sua polaroide.

O enredo de “Quando Margot Encontra Margot” (“La Belle et la Belle”, 97 min, 2018, 14 anos) acompanha uma personagem chamada Margot, de 45 anos, que tem uma vida despreocupada, pontuada por frequentes noitadas na cidade de Paris. Uma noite, durante uma festa, ela conhece outra Margot, 20 anos mais velha. Elogiado pela sutileza da direção de Sophie Fillières, a produção tem no elenco Sandrine Kiberlain, Agathe Bonitzer e Melvil Poupaud.

Serviço: Cine CPFL de outubro - O olhar feminino nas cidades contemporâneas” | Quando: até 30/10 | Onde: Plataforma Looke - acesso gratuito e online | Informações: www.mostracinemaereflexao.com.br

Sobre o Instituto CPFL - Com 17 anos de trajetória, o Instituto CPFL é a plataforma de investimento social privado do grupo CPFL Energia, responsável pela integração dos programas sociais, esportivos e culturais do grupo em uma única rede. A partir de 2020, o Instituto CPFL fortalece a frente de atenção social com investimento nos programas CPFL Jovem Geração, que apoia iniciativas voltadas para o futuro das novas gerações e o programa CPFL nos Hospitais, que apoia projetos de humanização e melhorias em hospitais públicos. Também integram as atividades da instituição: o Circuito CPFL, programa com etapas de corrida e caminhada e sessões de cinema movido a energia solar; as gravações do Café Filosófico CPFL, realizado em parceria com a TV Cultura e exibido na grade da emissora; o CPFL Intercâmbio Brasil-China, que estabelece um diálogo cultural através de filmes, concertos e palestras; e outras atividades que acontecem na sede do Instituto CPFL, em Campinas, como exposições de artes, concertos da música contemporânea e sessões de cinema.  Saiba mais em www.institutocpfl.org.br.


ESTREIA NO CINEMA: "M-8 - QUANDO A MORTE SOCORRE A VIDA" EM DEZEMBRO

 



A Paris Filmes e a Migdal Filmes anunciam a data de estreia de “M-8 – Quando a Morte Socorre a Vida”: 3 de Dezembro. O longa é dirigido pelo cineasta Jeferson De (do premiado “Bróder”) e saiu vencedor na categoria Melhor Filme de Ficção, por voto popular, do último Festival do Rio. Protagonizado por Juan Paiva (Maurício) e baseado no livro homônimo de Salomão Polakiewicz, o longa chega aos cinemas mais de um mês depois da reabertura das salas nas principais capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, e com toda a segurança dos protocolos definidos pelas autoridades sanitárias.

M8 conta a história de Maurício, jovem negro que ingressa como aluno cotista da Universidade Federal de Medicina. Ao chegar na instituição, é confrontado com uma dura realidade: o corpo que servirá para estudo na aula de anatomia - quase sempre de indigentes - é também negro. Impactado com a experiência, Maurício se vê envolvido com M-8, como o jovem morto é chamado, e inicia uma saga para desvendar sua identidade, enfrentando as próprias angústias e repensando o próprio lugar na sociedade.

Além de refletir sobre preconceito e exclusão, o filme toca em questões universais sobre sentimentos e relacionamentos. Integram o elenco Juan Paiva, Mariana Nunes, Giulia Gayoso, Bruno Peixoto, Fábio Beltrão, Zezé Motta, Malu Valle, Dhu Moraes, Henri Pagnoncelli, Pietro Mario, Alan Rocha, Higor Campagnaro e Raphael Logam, como M-8. Ailton Graça, Léa Garcia, Rocco Pitanga e Lázaro Ramos fazem participações especiais.

Confira o trailer: https://www.youtube.com/watch?v=uk_rvigyFiQ&feature=youtu.be

Siga M8 nas redes:

Facebook: facebook.com/M8OFilme/

Instagram: https://www.instagram.com/m8ofilme/

Twitter: https://twitter.com/M8OFilme

Sinopse

"M-8 – Quando a Morte Socorre a Vida", dirigido pelo cineasta Jeferson De (do premiado "Bróder"), é baseado no livro homônimo de Salomão Polakiewicz e conta a história de Maurício (Juan Paiva), um calouro da prestigiada Universidade Federal de Medicina, filho de Cida (Mariana Nunes), uma auxiliar de enfermagem, que dá duro para ver seu filho entrar pra faculdade . Em sua primeira aula de anatomia, Maurício é apresentado a M-8 (Raphael Logam), corpo que servirá para estudo dele e dos amigos durante o primeiro semestre. Em uma jornada permeada de mistério e realidade, Mauricio enfrenta suas próprias angústias para desvendar a identidade desse rosto desconhecido.

 

Elenco 

Maurício – Juan Paiva

M-8 – Raphael Logam

Cida – Mariana Nunes

Suzana – Giulia Gayoso

Domingos – Bruno Peixoto

Gustavo – Fábio Beltrão

Ilza – Zezé Motta

Sá – Ailton Graça

Sinvaldo – Alan Rocha

Dr. Djalma - Henri Pagnoncelli

Carlota – Malu Valle

Dona Angela – Léa Garcia

Mãe de Santo – Dhu Moraes

Salomão – Pietro Mario

Emília – Tatiana Tibúrcio

Motorista da Funerária - Lázaro Ramos

Marquinhos – Bernardo Dugin

Francisco – Sérgio Loureiro

Policial 1 - Higor Campagnaro

Policial 2 - Rocco Pitanga

 

Ficha técnica

Direção: Jeferson De

Produção: Iafa Britz e Carolina Castro

Roteiro: Jeferson De e Felipe Sholl

Colaboradores: Carolina Castro, Cristiane Arenas, Iafa Britz e Paulo Lins

Autor da obra original: Salomão Polakiewicz

Produtor associado: Romulo Marinho Jr.

Diretor de Fotografia: Cristiano Conceição

Diretor de Arte: Daniel Flaksman

Figurinista: Cris Kangussu

Produtora de elenco: Marcela Altberg

Produtora associada: Buda Filmes

Patrocínio do BRDE/FSA-Ancine

 

Sobre a Migdal Filmes - A Migdal Filmes é uma produtora carioca com diversificada carteira de projetos audiovisuais. Em seu line up, a empresa coleciona títulos que vão de grandes recordes de bilheteria a premiadas ficções e documentários. Dentre seus mais conhecidos projetos estão os três filmes da trilogia de "Minha Mãe É Uma Peça" (2013, 2017 e 2020), fenômeno de publico e critica; o filme "Casa Grande", de Fellipe Barbosa, indicado a mais de dez festivais internacionais e premiado no festivais do Rio, de Toulouse, Rotterdam e outros; e o também consagrado documentário musical "Cássia Eller", de Paulo Henrique Fontenelle.

A Migdal também é responsável pela produção de longas como "Linda de Morrer", comédia estrelada por Glória Pires; "Irmã Dulce", de Vicente Amorim, cinebiografia da Santa Dulce dos Pobres, "Nosso Lar", em parceria com a Cinética Filmes, que levou mais de 4 milhões de espectadores aos cinemas de todo o Brasil.

Para TV, a Migdal produziu séries como “Matches“ (Warner Chanell), as três temporadas da série antológica "As Canalhas" (GNT); as cinco temporadas do humorístico "220 Volts" (Multishow), e está em desenvolvimento de vários outros projetos de diferentes generos para streaming. Este ano entra em produção da segunda temporada de “Matches”, e também da série “ Minha Máe É Uma Peça” (Globoplay).

No line up para 2020/2021, a Migdal tem três filmes com perfis muito variados a serem lançados: "Carlinhos e Carlão", estrelado pelo ator Luis Lobianco e dirigido por Pedro Amorim; a comédia "Amarração do Amor", dirigida por Caroline Fioratti, com Cacau Protásio, Ary França e grande elenco; e " M8 — Quando a Morte Socorre a Vida", de Jeferson De.

Sobre a Paris Filmes - A Paris Filmes é uma empresa brasileira que atua no mercado de distribuição e produção de filmes, primando pela alta qualidade cinematográfica. Além de ter distribuído grandes sucessos mundiais, como o premiado “O Lado Bom da Vida”, que rendeu o Globo de Ouro® e o Oscar® de Melhor Atriz a Jennifer Lawrence em 2013 e “Meia-Noite em Paris”, que fez no Brasil a maior bilheteria de um filme de Woody Allen, a distribuidora também possui em sua carteira os maiores sucessos do cinema nacional, como as franquias “De Pernas Pro Ar” e “Até Que a Sorte nos Separe”. Nos últimos anos a empresa esteve à frente de lançamentos como a franquia “John Wick”, além de “La La Land – Cantando Estações”; “A Cabana”; “D.P.A: Detetives do Prédio Azul - O Filme”; “D.P.A. 2 - O Mistério Italiano”; “Extraordinário”; “Nada a Perder”, entre outros. Para 2020, a companhia aposta em um line-up diversificado, que inclui títulos como “A Jornada”, “Depois a Louca sou Eu”, “Detetives do Prédio Azul 3 - Uma Aventura no Fim do Mundo”, “Sapatinho Vermelho e os Sete Anões”, “10 horas Para o Natal”, “Espiral - O Legado de Jogos Mortais”, “Turma da Mônica – Lições”, entre outros.

 


       


quinta-feira, 15 de outubro de 2020

WARNER BROS> PICTURES VENCE TRÊS CATEGORIAS DO GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO

  

WARNER BROS. PICTURES VENCE TRÊS CATEGORIAS DO GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO 2020, INCLUINDO MELHOR ATRIZ COM ANDRÉA BELTRÃO

Além de Andréa, que venceu pela sua interpretação em Hebe - A Estrela do Brasil, Simone Batata ganhou prêmio na categoria de Melhor Maquiagem, pelo mesmo filme; Longa A Odisseia dos Tontos venceu categoria Melhor Longa-Metragem Ibero-Americano

A 19ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, realizada no último domingo (11 de outubro), rendeu três prêmios para a Warner Bros. Pictures. O longa Hebe - A Estrela do Brasil, dirigido por Maurício Farias (de "A Grande Família: O Filme" e "Vai Que Dá Certo") e baseado na história da famosa apresentadora Hebe Camargo, levou as categorias de Melhor Atriz, com Andréa Beltrão, e Melhor Maquiagem, com Simone Batata. Já o filme argentino A Odisseia dos Tontos, foi agraciado com o prêmio de Melhor Longa-Metragem Ibero-Americano.

Hebe - A Estrela do Brasil, longa da Loma Filmes em coprodução com a Warner Bros. Pictures, 20th Century Fox, Globo Filmes, Hebe Forever e Labrador Filmes, traz ainda Inti Briones na direção de fotografia e a atriz Andrea Beltrão interpretando a rainha da televisão brasileira Hebe Camargo na década de 1980. O Brasil vive uma de suas piores crises e Hebe aparece na tela exuberante: é a imagem perfeita do poder e do sucesso. Ao completar 40 anos de profissão, perto de chegar aos 60 anos de vida, está madura e já não aceita ser apenas um produto que vende bem na tela da TV. Mais do que isso, já não suporta ser uma mulher submissa ao marido, ao salário, ao governo e aos costumes vigentes.

A atriz Andrea Beltrão celebra: "Eu recebi a notícia do prêmio com a maior alegria. Fiquei muito feliz. ‘Fazer’ a Hebe me pediu coragem, disciplina férrea, e muita liberdade. Viajei por muitos lugares interessantes: conheci a intimidade da vida dela e guardei certos detalhes só pra mim, como a gente faz com uma amiga que a gente ama. Eu agradeço muito à Academia. Essa edição do prêmio será inesquecível, pois além dos filmes e das performances espetaculares em todas as áreas, estávamos todos em casa, longe. Mas também perto, porque é isso que o cinema faz, nos aproxima". 

Simone Batata também comemora a vitória: "Foi muito especial e desafiador fazer Hebe! Me sinto muito honrada em receber este prêmio. Tivemos um grande cuidado em estudar uma maneira de representar cada personagem fazendo uma releitura, obedecendo as características físicas de cada ator e chegar à um lugar confortável e representativo. Agradeço em ter sido escolhida pelo Maurício Farias para realizar esta tarefa. Agradeço também a todos os atores maravilhosos pela confiança".

A Odisseia dos Tontos, filme argentino vencedor da categoria Melhor Longa-Metragem Ibero-Americano, é dirigido por Sebastián Borensztein. Em uma cidade distante na província de Buenos Aires, durante a crise econômica, um grupo de moradores decide reunir a quantia de dinheiro necessária para comprar alguns silos abandonados em uma propriedade agroindustrial. Mas, mesmo antes de poderem executar o projeto, um golpe faz com que eles atinjam o fundo do poço e reajam diante da injustiça.

Aceda também: 

EXPOCINE 2020 DIAS 15 e 16 DE OUTUBRO

 Uma imagem contendo texto, placar, atletismo, desenho

Descrição gerada automaticamente 

 

Mulan, Tenet, Netflix e ajuda governamental são temas do keynote de abertura da EXPOCINE 2020

PRESIDENTE DA NATO ABORDA OS DESAFIOS DO SETOR

Palestrante convidado da manhã de hoje, na abertura da EXPOCINE 2020, John Fithian, Presidente da NATO (National Association of Theatre Owners), foi franco quanto aos desafios da indústria do cinema frente à pandemia, os efeitos do lançamento de filmes como “Mulan” (Disney) diretamente no streaming e a importância do apoio governamental. Seguem abaixo alguns destaques da palestra moderada pelo jornalista J. Sperling Reich, do site Celluloid Junkie.

Em Hollywood, os estúdios estão com medo de lançar filmes nos cinemas. Temos conversado seguidamente com os estúdios sobre os adiamentos das estreias. Entendemos que tenham medo, mas precisamos sobreviver até que seja seguro uma reabertura de todos os mercados ao mesmo tempo. Não sabemos quando isso será. Verão de 2021? Verão de 2022?

Peço desculpas aos meus colegas da América Latina pela forma como o governo americano lidou com a pandemia da Covid-19. A má gestão acabou provocando a situação que temos hoje de Nova York e Los Angeles com os cinemas fechados. E por isso os estúdios americanos não estão lançando os filmes. Nem mesmo aqui, onde muitas cidades já estão com os cinemas abertos.”

Os estúdios querem que o cinema esteja lá quando acabar a pandemia. Eles lucram muito com o cinema. Tem um motivo para a Disney não divulgar os números do lançamento de Mulan no Disney+. É porque os resultados ficam aquém do que seria uma estreia nos cinemas. A Disney lucra muito com o cinema, é uma marca que nasceu no cinema.”

Temos que acreditar que os estúdios são nossos parceiros. Conversamos muito com a Warner Bros, com (Christopher) Nolan. É disso que precisamos agora, de apoio.”

Lançar filme mudou com a pandemia. Não é mais uma corrida, é uma maratona. Os filmes ficam em cartaz muito tempo.”

Você sabe como um filme performou no dia seguinte da estreia. Os dados do cinema são transparentes. Eu queria muito que os do streaming também fossem. É um mito que a Netflix seja lucrativa. Ela não tem tantas visualizações como quer dizer que tem.

Dos US$ 11 bilhões do ano passado, talvez a gente consiga faturar US$ 3 bilhões este ano. Talvez. Em 2021, se a pandemia estiver sob controle, vamos vender muito. E em 2022, vamos voltar a quebrar recordes. É uma possibilidade. O que precisamos responder agora é como sobrevivemos até lá.

Precisamos do apoio dos governos para sobreviver a essa crise. Precisamos de empréstimos, de fomento.

O primeiro dia da EXPOCINE foi aberto pelo CEO da Tonks e idealizador da convenção Marcelo Lima. Ele lamentou que não estejamos comemorando os números gigantescos do ano passado, mas falou também do aprendizado de todo o setor ao longo do ano de 2020, destacando em especial do movimento #JuntosPeloCinema e o fortalecimento das entidades representativas de classe. E disse que a EXPOCINE se transforma num ambiente catalizador para a virada positiva do cinema.

Na sequência, Alex Braga Muniz, Diretor-Presidente da Ancine, fez um balanço de sua gestão, destacando o desafio de gerir mais de 10 mil projetos na agência. “É oportuno hoje fazermos uma avaliação de um plano de metas em termos de audiência, ingresso, ocupação de espaço. É importante o processo de remodelagem do audiovisual, para que a gente tenha uma perspectiva de horizonte virtuoso.

A EXPOCINE 2020 acontece virtualmente hoje e amanhã, com apresentação dos line-up dos maiores estúdios internacionais e nacionais, debates relevantes sobre o mercado hoje e encerra seus dois dias de maratona com um Pitching, estimulando a produção de novos conteúdos. A EXPOCINE 2020 é o maior evento da América Latina voltado à indústria cinematográfica. Com participação dos mais relevantes players do setor – entre produtores, distribuidores, plataformas digitais e outros profissionais do mercado –, a convenção conta com duas salas virtuais de conteúdo contínuo divididas da seguinte forma: uma dedicada exclusivamente às distribuidoras de cinema, que apresentam conteúdos de seus próximos lançamentos; e a outra com palestras, debates, workshops e pitchings de projetos audiovisuais. O evento tem também os keynotes e um espaço interativo para networking e fechamento de negócios. 

Clique aqui para acessar a programação completa.

Ainda é possível fazer inscrições no site: https://www.expocine.com.br/inscreva_se.

Sobre a EXPOCINE - A EXPOCINE nasceu em 2014 como uma convenção dedicada a fazer a ponte entre os setores de exibição e distribuição e, entre eles e seus fornecedores, no coração da indústria: a cidade de São Paulo. Rapidamente se consolidou como o maior evento do mercado. Em 2019, ampliou sua programação ainda mais para oferecer conteúdo e conexões relevantes também para os produtores, se tornando o grande hub da tela grande. A resposta foi positiva e o resultado, já em 2019, foi a ampliação e a renovação do público: 52% dos profissionais presentes nunca tinha ido à EXPOCINE até então. Aceda a www.expocine.com.br

quarta-feira, 7 de outubro de 2020

"OS FILHOS DE ISADORA" ESTREIA NO CINEMA VIRTUAL NESTA QUINTA-FEIRA

   

   

‘Os Filhos de Isadora’ estreia no Cinema Virtual nesta quinta-feira  

Longa premiado no festival de Locarno 2019 presta homenagem à bailarina Isabela Duncan


O diretor e roteirista Damien Manivel sempre apreciou a dança como força de expressão. Ao conhecer mais detalhes da vida da bailarina Isadora Duncan, Manivel encontrou a inspiração que precisava para construir uma história universal e pessoal que pudesse ser levada ao cinema. Assim nasceu ‘Os Filhos de Isadora”, longa que rendeu a Manivel o prêmio de melhor diretor no Festival de Locarno em 2019, e que pode ser conferido no Cinema Virtual a partir de 8 de outubro, com distribuição da Vitrine Filmes.

O Cinema Virtual é uma plataforma de streaming que tem a proposta de conectar distribuidores e exibidores para levar virtualmente e com exclusividade filmes inéditos ao público de cinema. O projeto segue o modelo dos cinemas físicos, com estreias todas as quintas. Os ingressos são válidos por 72 horas e podem ser acessados em até três dispositivos. 

*** Para assistir ao trailer, clique aqui.  

Os Filhos de Isadora - (Les Enfants d'Isadora) – Drama – França/Coreia do Sul - 84 minutos

Sinopse: Após a morte de seus dois filhos, em abril de 1913, a lendária dançarina Isadora Duncan criou um solo de despedida, intitulado "Mãe". O espetáculo apresenta, em um momento de extrema ternura, uma mãe embalando seu filho pela última vez antes de deixá-lo ir. Um século depois, quatro mulheres conhecem esta dança comovente.

Direção: Damien Manivel

Roteiro: Damien Manivel e Julien Dieudonné

Elenco: Agathe Bonitzer, Manon Carpentier, Marika Rizzi, Elsa Wolliaston

 

Sobre Vitrine:  

A Vitrine Filmes, desde 2010, se dedica à distribuição de filmes – sobretudo brasileiros – investindo no crescimento e na valorização do cinema nacional! Até o momento, já distribuímos mais de 150 filmes! É um prazer chegar aos 10 anos de atuação, agradecemos a todas as conquistas e seguimos trabalhando para que o cinema brasileiro siga conquistando um maior público.
Entre nossos maiores sucessos estão as ficções “Aquarius” e “O Som ao Redor”, de Kleber Mendonça Filho; “Bacurau”, de Kleber e Juliano Dornelles, longa que já alcançou mais de 750.000 espectadores; “A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, representante brasileiro do Oscar 2020; “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro; e “O Filme da Minha Vida”, de Selton Mello.
Entre os documentários, a distribuidora lançou “Divinas Divas”, de Leandra Leal; documentário de maior público no Brasil em 2017 e “O Processo”, de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional.
Em 2020, ano em que completa 10 anos, a Vitrine Filmes já lançou “O Farol”, de Robert Eggers, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia, “Você Não Estava Aqui”, novo longa de Ken Loach e “Três Verões”, de Sandra Kogut. Ainda este ano também lançará o premiadíssimo “A Febre”, de Maya Da-Rin.

   

sexta-feira, 2 de outubro de 2020

CANAL CURTA! QUADRINHOS DE ZÉFIRO NO DOCUMENTÁRIO DE SILVIO TENDLER

 

 

 

Ilustração no documentário ‘Em Busca de Carlos Zéfiro’ (Canal Curta!)

        Os quadrinhos de Carlos Zéfiro são tema de novo documentário de Silvio Tendler

 

A partir da década de 1950, quadrinhos eróticos assinados por um misterioso “Carlos Zéfiro” foram vendidos clandestinamente em bancas de jornal e fizeram muito sucesso por debaixo dos panos de uma sociedade predominantemente moralista. Apelidadas de “catecismos”, essas revistas foram responsáveis pela educação sexual de mais de uma geração, tendo sido publicadas por pelo menos duas décadas. O novo documentário do diretor Silvio Tendler (“A Alma Imoral”, 2019; “Jango”, 1984), “Em Busca de Carlos Zéfiro”, que estreia no canal Curta!, analisa a importância da obra de Zéfiro e mostra o autor por trás do pseudônimo — o pacato funcionário público Alcides Aguiar Caminha, morto em 1992.

Alcides, que só teve a identidade revelada em 1991, era um boêmio carioca, que completou o Ensino Médio aos 58 anos e se aposentou como funcionário do Ministério do Trabalho. O segredo de sua identidade foi guardado a sete chaves pelo mercado editorial e a notícia de que um homem “comum” era o responsável pelas revistinhas foi surpreendente. O jornalista Juca Kfouri, responsável pela revelação, é um dos entrevistados do filme, que também conta com depoimentos do cartunista Ota, do antropólogo Roberto DaMatta e do filósofo francês Dany-Robert Dufour, entre outros.  

A importância dos “catecismos” de Zéfiro se explica pelo contexto repressor da época: não havia aulas de educação sexual, a anatomia humana era um mistério para muitos e a comercialização de obras pornográficas era crime. Através dos seus traços inconfundíveis e de seu marcante estilo narrativo, o autor revelava um novo universo sexual, sensorial e corporal para jovens que não tinham outra fonte de aprendizado sobre o sexo.

“Em Busca de Carlos Zéfiro” é uma produção da Caliban viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). A estreia é na Sexta da Sociedade, 09/10, às 22h30.


Série destaca obra e o legado de artistas plásticos do modernismo brasileiro

Ao longo de seis episódios, a série “Artistas Plásticos Brasileiros”, dirigida por Adriana Miranda e Rozane Braga, analisa a trajetória de artistas que marcaram a arte feita no Brasil e influenciaram as gerações seguintes. A vida e a obra de Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Lasar Segall, Ismael Nery, José Pancetti e Cícero Dias dão o tom dos episódios, que também relembram o contexto histórico, social e artístico da época e do local em que cada um viveu.

O primeiro episódio é sobre Lasar Segall, um dos primeiros modernistas a expor sua obra no Brasil. Nascido em uma família judia da Lituânia, o pintor transpôs para a tela suas inquietações, sobretudo com as guerras e o sofrimento humano. A exibição é na Terça das Artes, 06/10, às 20h

Segunda da Música – 05/10

22h25 – “Uma noite em 67” (Documentário)

Final do III Festival da Música Popular Brasileira da TV Record, 21 de outubro de 1967: entre os candidatos aos principais prêmios, figuram Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Mutantes, Roberto Carlos, Edu Lobo e Sérgio Ricardo, protagonista do infame episódio da destruição de seu violão no palco. Com imagens de arquivo e apresentações de músicas hoje clássicas, o filme registra o momento do tropicalismo, os rachas artísticos e políticos na época da ditadura e a consagração de nomes que se tornaram ídolos.  Diretores: Renato Terra e Ricardo Calil. Duração: 85 min. Classificação: Livre. Horários alternativos:  06 de outubro, terça-feira, às 02h25 e 16h25; 07 de outubro, quarta-feira, às 10h25; 10 de outubro, sábado, às 15h25 e 11 de outubro, domingo, às 22h25;

PROMO: https://youtu.be/CBg-5w-9-fE

FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1pZy0xYBe2CCYMPVtNbzOtgxbQa1LTiyd?usp=sharing

Terça das Artes – 06/10

20h – “Artistas Plásticos Brasileiros" (Série) — Ep. “Lasar Segall”

Este episódio da série “Artistas Plásticos Brasileiros” mostra como as grandes guerras mundiais tiveram forte influência na vida e na arte de Lasar Segall, refletindo sua profunda preocupação com o sofrimento humano. Nascido em família judia na Lituânia, mas brasileiro por escolha, ele foi um dos primeiros modernistas a expor no Brasil, quando sua obra já era reconhecida na Europa. Aqui, ele descobriu a luz e a cor, que deixaram sua pintura mais vibrante e solar para denunciar as dores do mundo. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 07 de outubro, quarta-feira, às 00h00 e 14h; 08 de outubro, quinta-feira, às 08h00; 10 de outubro,   sábado, às 19h45 e 11 de outubro, domingo, às 10h45.

PROMO: https://youtu.be/iiG618dub0A

FOTOShttps://drive.google.com/drive/folders/17y_qnbes--mpAxujbt-btvUcoprh9O68?usp=sharing

Quarta de Cinema – 07/10

20h – “A História do Cinema – Uma Odisseia” (Série) — Ep. “1895 a 1918”

O cinema não tardou a ser um grande meio de contar histórias, graças à evolução das câmeras e da edição. Esta série atravessa 12 décadas, 6 continentes e milhares de filmes para revisitar os grandes marcos de inovação da indústria do entretenimento. O primeiro episódio fala do início da história do cinema. Diretor: Mark Cousins. Duração: 60 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 08 de outubro, quinta-feira, às 00:00 e 14h; dia 09 de outubro, sexta-feira, às 08h; dia 11 de outubro, domingo, às 16h40

PROMO: https://youtu.be/Pdld4VLA4Qk

FOTOShttps://drive.google.com/drive/folders/1HoN6HIfQzF2Na6yL_vorqAnxIChNDQ7N?usp=sharing

Quinta do Pensamento – 08/10

18h30 – “República da Poesia” (Série) — Ep. “Antonio Cicero” — HOMENAGEM AOS 75 ANOS DE ANTONIO CICERO.

Tendo como pano de fundo a cidade do Rio de Janeiro, um caminho é traçado para compreender a poesia de Antonio Cicero, cujos 65 anos se celebram no dia 6 de outubro. Imortal da ABL, poeta, filósofo e compositor de canções, Cicero transita entre o mundo pop e o erudito, do grego antigo à modernidade, colocando à mostra suas convicções e dúvidas num elo entre a razão, a poesia e a clareza. Diretor: Dillner Gustavo e Rodrigo Campos. Duração: 45 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: dia 09 de outubro, sexta-feira, às 04h35 e 12h30; dia 10 de outubro, sábado, às 08h00; 11 de outubro, domingo, às 04h35.

PROMO: https://youtu.be/5AdjaZt2WvU

FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1MYJOgchnOYZLs3_rHYJkiOr8CYE1oBlI?usp=sharing

Sexta da Sociedade – 09/10

18h30 –John Lennon: Imagine — O Filme” (Documentário) — HOMENAGEM AOS 80 ANOS DE NASCIMENTO DE JOHN LENNON.

No dia em que John Lennon comemoraria 80 anos, o Curta! exibe o documentário composto por imagens exclusivas do músico e sua mulher, Yoko Ono, filmadas na Inglaterra, nos Estados Unidos e no Japão para acompanhar as canções do álbum “Imagine”. Diretor: John Lennon e Yoko Ono. Duração: 70 min. Classificação: 14 anos.

PROMO: https://youtu.be/9rQlHn6Zek8

FOTOShttps://drive.google.com/drive/folders/1Tep6t5cPIvfRRo-IJZOxog_Fbq3cnyNw?usp=sharing

22h30 –Em Busca de Carlos Zéfiro” (Documentário)

As revistinhas em quadrinhos criadas por Carlos Zéfiro e vendidas de forma clandestina em bancas de jornal do país inteiro, dos anos 1950 aos 70, alimentaram desejos reprimidos de adultos e apresentaram a muitos jovens inexperientes os segredos do sexo. O documentário “Em busca de Carlos Zéfiro” aborda a relevância dessas publicações para a sexualidade de gerações que se formaram em tempos onde a comercialização de obras pornográficas era considerada crime. Com um traço inconfundível e um estilo narrativo marcante, os quadrinhos de Zéfiro eram os mais pedidos pelos clientes e também os mais imitados pelos concorrentes. “Em busca de Carlos Zéfiro” nos leva ao seu autor, um pacato funcionário público, e a um dos mais bem guardados segredos do mercado editorial, que só foi desvendado nos anos 1990.  Diretor: Silvio Tendler. Duração: 90 min. Classificação: 18 anos.

PROMO: https://youtu.be/4jf03GxrNVg

FOTOShttps://drive.google.com/drive/folders/1fQ2HQjmTQnsLqLB-ff4GwY0weujS8nNv?usp=sharing

Sábado – 10/10

22h05 - “Evoé — Retrato de Um Antropófago” (Documentário)

Um filme que mistura de forma labiríntica depoimentos recentes e imagens históricas da carreira do diretor, ator e dramaturgo José Celso Martinez Corrêa, do Teatro Oficina. O documentário adquiriu o seu verbo principal em quatro viagens a pontos chave da trajetória de Zé Celso: Sertão da Bahia, Praia de Cururipe, em Alagoas (onde o Bispo Sardinha foi devorado), Epidaurus e Atenas, na Grécia, e o apartamento de São Paulo. Com acesso livre ao infindável e sempre crescente arquivo de imagens e sons do Grupo Oficina, misturados com imagens contemporâneas, constrói-se aqui uma visão muito particular de uma das maiores personalidades das artes do Brasil de todos os tempos. Diretores: Elaine Cesar e Tadeu Jungle. Duração: 104 min. Classificação: 16 anos. Horários alternativos: 11 de outubro, domingo, às 13h35h.

PROMO: https://youtu.be/vT0m1WbJ0hs

FOTOShttps://drive.google.com/drive/folders/1cXxP3mVQWrNuYqcahUu0Hs5aUBGs5qM7?usp=sharing

Domingo – 11/10

19h30 – “Operação Pedro Pan” (Documentário)

No início dos anos 1960, mais de 14 mil crianças e adolescentes cubanos embarcaram em um voo sem volta para os EUA. Eles foram confiados à Igreja católica de Miami por suas famílias, preocupadas com a aproximação entre Cuba e a União Soviética. Essa operação foi orquestrada por forças anticastristas com o apoio do governo norte-americano. A decisão dos pais de mandar os filhos para um lugar considerado seguro durante os tumultuados anos que se seguiram à revolução cubana foi estimulada por boatos de que o novo regime iria suspender o pátrio poder e doutrinar as crianças de acordo com a ideologia comunista. A separação das famílias foi, porém, muito mais longa e dolorosa do que o previsto. Neste filme, vários cubanos enviados aos EUA quando eram crianças descrevem o impacto da Operação Pedro Pan em suas vidas. Além disso, entrevistas com especialistas norte-americanos e cubanos e imagens de arquivo da época traçam o contexto histórico em que ocorreu esse episódio pouco conhecido da Guerra Fria na América Latina.  Diretores: Kenya Zanatta, Mauricio Dias. Duração: 82 min. Classificação: 14 anos.

PROMO: https://youtu.be/SP4S5We1YeU

FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1qaX5ZsjxSW2_uOOluZ0Gu3_-P-9MEMXT?usp=sharing

 

 

Sobre o Curta! - O canal Curta! é um dos novos canais brasileiros da TV paga que mais aprovou projetos para financiamento pelo Fundo Setorial do audiovisual. Até agora foram financiados, para estreia no CURTA!, mais de 120 longas documentais e 800 episódios de 60 séries, atendendo à grade temática do canal: música, artes cênicas, metacinema, pensamento em humanidades, história política e sociedade.

O Curta! pode ser visto nos canais 56 e 556 da NET e da Claro TV, no canal 75 da Oi TV e no canal 664 da Vivo, oferecido à la carte pela operadora. Siga o Curta! nas redes sociais: www.facebook.com/CanalCurta, https://twitter.com/canalcurta e www.youtube.com/user/canalcurta. Saiba mais em http://www.canalcurta.tv.br.