segunda-feira, 18 de junho de 2018

"FEVEREIROS", DOCUMENTÁRIO É O GRANDE VENCEDOR DO PRÊMIO IN-EDIT BRASIL


“FEVEREIROS”, DOCUMENTÁRIO QUE MOSTRA A RELAÇÃO ENTRE A CANTORA MARIA BETHÂNIA E O CARNAVAL, É O GRANDE VENCEDOR  DA 10ª EDIÇÃO DO IN-EDIT BRASIL

O documentário “Fevereiros”, de Marcio Debellian, é o grande vencedor do prêmio do Júri da 10ª edição do IN-EDIT BRASIL - Festival Internacional do Documentário Musical, que aconteceu de 7 a 17 de Junho em São Paulo.  


O filme, que mostra a relação entre a cantora Maria Bethânia e o carnaval, será apresentado pelo diretor na edição de Barcelona do In-Edit e depois entrará no circuito In-Edit de festivais. 
Já a menção honrosa foi para o documentário “Dê Lembranças a Todos”, Fabio Di Fiore, Thiago Di Fiore,  sobre o cantor Dorival Caymmi.

O Júri foi composto por Ana Butler, Cristina Amaral, Francisco Cesar Filho, Patricia Palumbo e Simone Yunes. 
  
O In-Edit Brasil – 10º Festival Internacional do Documentário Musical é uma realização da In Brasil Cultural e do SESC - Serviço Social do Comércio, com participação da Agência Nacional de Cinema - Ancine, Fundo Setorial e BRDE e copatrocínio da Spcine e Prefeitura de São Paulo.
 
Serviço: IN-EDIT BRASIL – 10º Festival Internacional do Documentário Musical
De: 7 a 17 de Junho em São Paulo.


Sinopse dos filmes:
• Melhor Filme: FEVEREIROS, de Marcio Debellian.
Fevereiros
Márcio Debellian | Brasil | 2017 | 74’
A relação entre Maria Bethânia e o carnaval é notória. Desde sua infância em Santo Amaro da Purificação (BA), a cantora sempre cultuou esta festa que marcou sua formação. Neste filme,  Bethânia se lembra de suas primeiras festas e a importância da sua espiritualidade em sua vida. A equipe registrou a vitória da escola de samba carioca Estação Primeira de Mangueira em 2016, que teve um enredo homenageando a cantora.

• Menção Honrosa: DÊ LEMBRANÇAS A TODOS, de Fabio Di Fiore e Thiago Di Fiore.

Dê Lembranças A Todos
Fabio Di Fiore, Thiago Di Fiore | Brasil | 2018 | 73’
Dorival Caymmi foi um dos inventores do imaginário baiano. Em seus 94 anos de vida, Caymmi compôs, cantou, escreveu, ilustrou e pensou sua Bahia, mesmo longe dela.  Seus familiares, parceiros, amigos e fãs lembram de sua história que o transformou em um dos pilares da cultura brasileira. 



sexta-feira, 15 de junho de 2018

FOTÓGRAFA E ATIVISTA CLAUDIA ANDUJAR É UMA DAS GANHADORAS DA MEDALHA DO GOETHE-INSTITUT


As Medalhas Goethe de 2018 vão para os diretores colombianos de teatro Heidi e Rolf Abderhalden, do coletivo Mapa Teatro; para a fotógrafa documental e ativista dos direitos humanos suíço-brasileira Claudia Andujar; e para o compositor e regente húngaro Péter Eötvös. O Goethe-Institut atribui a condecoração da República Federal da Alemanha, todos os anos, a personalidades que tenham se empenhado especialmente em prol do intercâmbio cultural internacional. No dia 28 de agosto de 2018, Klaus-Dieter Lehmann, presidente do Goethe-Institut, entregará os prêmios no Residenzschloss Weimar. Os discursos serão feitos pelo autor teatral e ensaísta Deniz Utlu, pelo antropólogo e ativista Stephen Corry e pelo escritor e dramaturgo Albert Ostermaier.

Neste ano de 2018, as Medalhas Goethe são dedicadas ao lema “Uma vida depois da catástrofe”. Com Heidi e Rolf Abderhalden, do Mapa Teatro, Claudia Andujar e Péter Eötvös, serão premiadas quatro personalidades que representam exemplarmente uma conduta construtiva frente a rupturas e cesuras ameaçadoras da existência, tanto na vida pessoal quanto pública. Todos eles empenharam-se por um recomeço depois de uma “catástrofe” – seja depois de uma guerra, de uma derrocada política ou de destruições ambientais. As peças sócio-documentais do coletivo Mapa Teatro debruçam-se de forma radical, por meios experimentais performáticos, sobre os entrelaçamentos entre política, sociedade, violência e revolução na sociedade colombiana. Elas abordam tanto a dissolução de um bairro inteiro de Bogotá, quanto as consequências da violência durante a guerra civil na Colômbia. A fotógrafa documental suíço-brasileira Claudia Andujar empenha-se, desde os anos 1970, pelo povo indígena Yanomami, que vive na região amazônica. Sem sua atuação incansável, não apenas com a câmera, o lugar onde vivem os Yanomami talvez até hoje não tivesse sido transformado em área de proteção ambiental. Com suas composições e sua interpretação de obras de outros músicos contemporâneos, o compositor e regente húngaro Péter Eötvös contribuiu durante a Guerra Fria, e também depois da queda do Muro de Berlim, para o desenvolvimento de uma cultura musical europeia comum, exercendo até hoje influência sobre a mesma.

Mapa Teatro
O coletivo colombiano Mapa Teatro, formado pelos irmãos suíço-colombianos Heidi e Rolf Abderhalden, é, desde sua fundação em Paris no ano de 1984 e sobretudo após sua mudança para Bogotá dois anos depois, singular em sua forma. A esse “laboratório experimental” pertencem tanto artistas plásticos, quanto músicos e videoartistas ligados às artes cênicas. Em seus projetos sócio-documentais, o coletivo dedica-se a temas regionais e globais, analisando de forma radical e multimídia os entrelaçamentos entre a política, a sociedade, a cultura da festa, a violência e a revolução na sociedade colombiana. Desta forma, o Mapa Teatro contribui de maneira importante não apenas para o teatro colombiano contemporâneo, mas também para os processos de reconciliação dentro do país. Desde sua fundação, suas peças vêm refletindo a situação da Colômbia e da América do Sul. Em “Testigo de las Ruinas” (2005), o coletivo aborda a evacuação e a extinção de um bairro inteiro. Em “Los Incontados” (2014), eles avaliam as diversas partes envolvidas na guerra civil e a conduta das mesmas frente à violência. Os palcos do Mapa Teatro, sobretudo o prédio no centro de Bogotá, sede do coletivo ocupada desde os anos 1980 e salva do desmoronamento por isso, testemunham essa trajetória. O conflito armado na Colômbia, que durou mais de 50 anos, bem como a violência, as expulsões e as questões não esclarecidas relacionadas à culpa exigem, na perspectiva do Mapa Teatro, um debate constante. O coletivo faz isso com coragem e formatos novos.

Claudia Andujar
Claudia Andujar é uma das mais importantes representantes da fotografia artístico-documental na América do Sul. Depois de sua fuga do nazismo, ela optou por uma carreira como fotojornalista, através da qual se envolveu no combate à ditadura e à violência. No contexto de seu engajamento pela proteção dos Yanomami, o maior povo indígena do Brasil, surgiram mais de 60 mil fotografias, feitas a partir dos anos 1970. Suas impressionantes séries de imagens são ao mesmo tempo artísticas e políticas: elas compõem um panorama do Brasil que oscila entre o espaço urbano e a natureza. A maior influência sobre sua vida e atuação artística se deu através do encontro com os Yanomami, ameaçados pela destruição do espaço no qual viviam em função de interesses econômicos. Em 1971, Andujar viajou pela primeira vez para a região amazônica como fotógrafa da revista “Realidade”, tendo ficado fascinada com a forma de vida dos Yanomami. Cada vez mais ela foi se distanciando do fotojornalismo, para se dedicar a seu projeto de vida: a proteção dos Yanomami. Entre 1971 e 1978, Andujar viveu com eles na Amazônia, até que o governo militar a expulsou de lá. Depois disso, ela fundou, junto com o missionário Carlo Zacquini, o antropólogo Bruce Albert e outros ativistas, a Comissa?o Pro?-Yanomami, uma ONG que se empenhou pela criação de um parque para os Yanomami e para a natureza que os cercava. Foi também em função desse empenho que essa região da Amazônia foi declarada, em 1992, área de proteção ambiental. A convivência entre os Yanomami foi registrada pela fotógrafa, entre outros em uma de suas mais importantes séries: “Marcados”, produzida nos anos 1980. Os retratos em preto e branco dos Yanomami foram feitos por Andujar durante uma campanha de vacinação destinada a melhorar as condições de saúde desta população indígena. Artista e ativista, Andujar é até hoje, aos 87 anos de idade, uma voz importante na América do Sul – mesmo porque a situação no Brasil não a deixa descansar.

Péter Eötvös
Para o compositor, regente e professor Péter Eötvös, a música é uma comunicação intensa entre o compositor, o intérprete e o público. Nascido em 1944 na Transilvânia (para ele um lugar nostálgico, que sempre marcou suas composições), Eötvös procurou desde cedo o contato com as culturas europeias de música contemporânea. Nos anos 1960, uniu-se à vanguarda musical de Colônia, regendo em 1978, a convite de Pierre Boulez, o concerto de abertura do Institute de Recherche et Coordination Acoustique/Musique (IRCAM) em Paris. Péter Eötvös é considerado um dos mais bem-sucedidos compositores de ópera da nossa época – suas composições sonoras extraordinárias colocam incessantemente questões existenciais, para as quais o compositor cria respostas musicais intensas, muitas vezes arrebatadoras. Em 1991, ele fundou o Instituto Internacional Péter Eötvös para Jovens Regentes e Compositores, uma plataforma cuja meta é transmitir o saber adquirido e a experiência vivida às próximas gerações. A partir de 1992, Péter Eötvös passou a dar aulas na Escola Superior de Música de Karlsruhe. Em 1998, assumiu uma cadeira como professor da Escola Superior de Música de Colônia. Em 2002, voltou a Karlsruhe, onde permaneceu por mais cinco anos. Desde os anos 1990, ele vem se dedicando cada vez mais à composição de obras para concerto e óperas. Ele se tornou de fato conhecido no ano de 1998, quando estreou na Ópera de Lyon, com sucesso absoluto, “As três irmãs”, baseada na peça de Tchekhov. Desde então, ele vem dividindo seu tempo entre as funções de regente e compositor e dedicando-se também a assuntos de ordem política, como por exemplo no teatro musical “O dragão de ouro”, que trata da globalização e da política de migração, tendo estreado em 2014, como composição encomendada para o Ensemble Modern, na Ópera de Frankfurt.
Neste ano de 2018, os discursos de homenagem aos premiados com as Medalhas Goethe serão feitos pelo autor teatral e ensaísta Deniz Utlu (Heidi e Rolf Abderhalden, Mapa Teatro), pelo antropólogo e ativista britânico Stephen Corry (Claudia Andujar) e pelo escritor e dramaturgo Albert Ostermaier (Peter Eötvös). Em cooperação com o Festival Kunstfest Weimar, o Goethe-Institut organiza no dia 26 de agosto (15h) uma conversa com a artista Claudia Andujar, Davi Kopenawa Yanomami (líder dos Yanomami) e com o antropólogo Stephen Corry. No dia 27 de agosto (19h), acontece também, no contexto do Festival Kunstfest Weimar, uma conversa entre os irmãos Heidi e Rolf Abderhalden, do Mapa Teatro, e a cientista da cultura Christina von Braun, sob o título “Laboratório das Artes”. 

A entrega das Medalhas Goethe de 2018 acontecerá em estreita parceria com a Fundação dos Clássicos de Weimar e com a prefeitura da cidade. A conversa com Claudia Andujar é fruto de uma cooperação com a Kunstfest Weimar, com o gentil apoio da prefeitura de Weimar. A conversa com os irmãos Heidi e Rolf Abderhalden é fruto de uma estreita cooperação com a Kunstfest Weimar, com gentil apoio da Fundação dos Clássicos de Weimar.

MISTÉRIOS EM FAMÍLIA ESTREIA NO MAIS GLOBOSAT PLAY


Fred Latour está prestes a comemorar seu aniversário com as três mulheres de sua vida: sua mãe Hélène, Karine, sua esposa, e sua filha Sybille. Mas anda estressado com problemas no trabalho. Na reunião familiar, ele, um pai atencioso e marido exemplar, cai da varanda de sua casa. A morte está envolvida em uma trama de mistérios e segredos familiares. “Mistérios em Família” estreia nesta sexta-feiradia 15, no Mais Globosat Play e nas plataformas VOD das operadoras . Até 21/06, todos os episódios estarão abertos a não-assinantes.
Na TV, a de “Mistérios em Família” será um mês depois, dia 15 de Julho.

Os episódios estarão disponíveis para o assinante a qualquer hora, em qualquer lugar, sem custo extra. Basta acessar o Mais Globosat Play  maisglobosatplay.com.br  – serviço de TV everywhere, na SmartTV, no computador ou em aplicativos para celulares e tablets. Os conteúdos também podem ser assistidos através dos serviços sob demanda das operadoras: Net NOW, Vivo Play, e Oi Fibra. 

Sobre o canal:
Mais Globosat
Uma janela para o mundo
Se você quiser passear por aí, ouvir boas histórias e conhecer conteúdos originais, seu lugar é o Mais Globosat. Aqui você encontra séries de ficção de diversas nacionalidades e produções locais que viajam o Brasil e o mundo mostrando curiosidades de cultura, gastronomia e turismo.
O Mais Globosat reúne o melhor conteúdo dos mais variados países: França, Colômbia, Inglaterra, Israel, Alemanha, Espanha e países Nórdicos. E se destaca por exibir as séries que deram origem a grandes hits como Homeland, Hostages, The Bridge e The Returned. Para completar a experiência, o público tem a possibilidade de encontrar todo o conteúdo do canal no Mais Globosat Play e nos serviços ondemand das principais operadoras do país. Assim pode ver e rever seus programas favoritos quando e onde quiser!

quinta-feira, 14 de junho de 2018

ECOFALANTE ANUNCIA GANHADORES DA 7ª EDIÇÃO



Dedo na Ferida é o grande vencedor da Competição Latino-Americana da 7ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental. O documentário dirigido por Silvio Tendler foi premiado com o troféu Ecofalante e R$ 15 mil na noite desta quarta-feira, 13 de junho, na cerimônia de encerramento realizada no Centro Cultural São Paulo, em São Paulo.

Silvio Tendler é um dos maiores documentaristas brasileiros (dos sucessos “Os Anos JK – Uma Trajetória Política, Jango e “O Veneno Está na Mesa”). No documentário vencedor, ele trata do fim do estado de bem-estar social, com milhões de pessoas peregrinando em busca de melhores condições.
Emocionado com o reconhecimento pelo júri da Ecofalante, o diretor enfatiza que “Dedo na Ferida é um filme destinado a todos os públicos porque usa uma linguagem clara. Eu gosto de comunicar com o espectador. Eu não faço filme para a elite nem para pessoas fissuradas na linguagem hermética”. E acrescenta: “Acho que qualquer espectador que queira entender o mundo em que ele vive tem que assistir esse filme e discutir com os amigos”.
O prêmio do júri  para Melhor Curta-Metragem da Competição Latino-Americana foi para Abigail de Isabel Penoni e Valentina Homem. O curta  focaliza a indigenista Abigail Lopes, que viveu em um ambiente masculino e formou-se imbuída dos princípios humanistas da ‘pacificação’.

Considerado o mais importante evento audiovisual sul-americano dedicado a temas socioambientais, a 7ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental aconteceu de 31/05 a 13/06 em 32 salas de São Paulo e mais 50 espaços culturais e educativos em todas as regiões da capital paulistana, incluindo Fábricas de Cultura e CEUs – Centros Educacionais Unificados.  
O festival homenageou este ano líder seringueiro e ambientalista Chico Mendes, no 30o. ano do seu assassinato e promoveu a retrospectiva Werner Herzog: Homem x Natureza. Além de promover debates sobre temas contemporâneos, sessão infantil, seminário e workshops voltados para a educação e cinema.

Confira a lista de vencedores abaixo:
COMPETIÇÃO LATINO-AMERICANA:
Dedo na Ferida (2017), Silvio Tendler

PRÊMIO DO PÚBLICO:
Ser Tão Velho Cerrado (2018), André D'Elia

MENÇÃO HONROSA (LONGAS):

Estado de Exceção (2017), Jason O’Hara

MELHOR CURTA:
Abigail (2016), Isabel Penoni & Valentina Homem

MENÇÕES HONROSAS (CURTAS)
Berta Vive (2016), Kátia Lara
Sob a Pata do Boi (2018), Márcio Isensee e Sá

MELHOR FILME DO CONCURSO CURTA ECOFALANTE (ESTUDANTES):
Xavante: memória, cultura e resistência (2016), Gilson Costa - Universidade Federal do Mato

PRÊMIO DO PÚBLICO (ESTUDANTES):
Xavante: memória, cultura e resistência (2016), Gilson Costa - Universidade Federal do Mato

MENÇÃO HONROSA (ESTUDANTES):
Dos antigos aos filhos do amanhã (2017), Leonardo Gelio, PUC Rio de Janeiro.



quarta-feira, 13 de junho de 2018

TALVEZ UMA HISTÓRIA DE AMOR GANHA DOIS NOVOS VÍDEOS


Filme é estrelado por Mateus Solano e tem estreia prevista para 14 de Junho nos cinemas

A Warner Bros. Pictures e a Chocolate Filmes divulgam dois novos vídeos de Talvez Uma História de Amor, filme com Mateus Solano que estreia na próxima quinta-feira (14 de Junho). Um dos vídeos mostra a relação de Virgílio, interpretado por Solano, com as mulheres. Já o outro destaca as filmagens feitas em Nova York e as percepções de Solano sobre essa experiência.

O elenco do longa ainda conta com Thaila Ayala, Bianca Comparato, Nathalia Dill, Marco Luque, Paulo Vilhena, Dani Calabresa, Jacqueline Sato, Juliana Didone, Totia Meirelles, Gero Camilo e participação especial de Cynthia Nixon (a Miranda de “Sex and The City”).
Com filmagens em São Paulo e Nova York, Talvez Uma História de Amor é produzido pela Chocolate Filmes e tem distribuição da Warner Bros. Pictures.

Links para vídeos
Mulheres de Virgílio – https://youtu.be/Xvdbmc38gs0


Sobre o filme
A melhor maneira de não terminar uma história de amor é não começá-la. Assim pensa Virgílio, vivido por Mateus Solano nessa comédia romântica nacional. Um personagem metódico, que busca controlar sua vida de todas as maneiras, mesmo nos mínimos detalhes. Até que um recado deixado em sua secretária eletrônica por uma mulher o desconcerta: Clara está terminando com ele, não é mais possível continuar o relacionamento dos dois. E desliga. No entanto… quem é Clara? Virgílio não se lembra dela, nem de ter se relacionado com ninguém. Os amigos comentam, os colegas de trabalho perguntam, todos de alguma forma sabiam da relação dos dois, menos ele. A partir daí, Virgílio parte em busca de encontrar essa mulher misteriosa e talvez, o amor da sua vida.
Além de Mateus, o longa tem um time de peso no elenco, com: Thaila Ayala, Paulo Vilhena, Bianca Comparato, Totia Meirelles, Nathalia Dill, Juliana Didone, Gero Camilo, Marco Luque, Dani Calabresa e participação especial de Cynthia Nixon. É produzido pela Chocolate Filmes, tem distribuição da Warner Bros. Pictures e estreia prevista para 14 de junho de 2018. 

#TalvezUmaHistóriaDeAmor     #NãoEsqueça

Informações gerais para a imprensa disponíveis para download em: https://mediapass.warnerbros.com/

https://www.facebook.com/WarnerBrosPicturesBrasil


DIRETOR DE BUMBLEBEE CONFESSA INSPIRAÇÃO EM SPIELBERG

        Em novo vídeo, diretor de ‘Bumblebee’ confessa inspiração em Spielberg
Filme com Hailee Steinfeld e John Cena estreia dia 25 de Dezembro
Bumblebee, da Paramount Pictures, volta à Califórnia dos anos 80 para acompanhar a aventura solo do personagem da franquia de sucesso Transformers. Não à toa, o diretor do spin-off, Travis Knight (Kubo e a Espada Mágica), buscou uma inspiração bem conhecida. “Eu fui uma criança dos anos 80, cresci amando os clássicos contos de Spielberg e isso foi algo que quis trazer para o Bumblebee. Uma das coisas que mais amo no cinema é compartilhar nossas experiências e nossas histórias com outras pessoas. É uma maneira de se conectar com as pessoas”, revela o diretor, em vídeo inédito.

Produzido por Michael Bay e Lorenzo Di Bonaventura, Bumblebee estreia nos cinemas dia 25 de dezembro e traz Hailee Steinfeld (Bravura Indômita, Quase 18) e John Cena (Pai em Dose Dupla 2, Descompensada) como protagonistas.


Sobre a Paramount Pictures Corporation
A Paramount Pictures Corporation (PPC), uma importante produtora e distribuidora global de entretenimento filmado, é uma unidade da Viacom (NASDAQ: VIAB, VIA), casa de marcas globais famosas que criam emocionantes programas de televisão, filmes de longa-metragem, conteúdo de curta metragem, apps, jogos, produtos de consumo, experiências nas mídias sociais e outros conteúdos de entretenimento para as audiências de mais de 180 países.


WARNER BROS. PICTURES ANUNCIA INÍCIO DAS FILMAGENS DE MULHER-MARAVILHA 1984



A diretora Patty Jenkins e a estrela Gal Gadot unem-se novamente para o retorno da Super-Heroína da DC à tela grande
Avançando para os anos 80, a próxima grande aventura da super-heroína Mulher-Maravilha traz uma nova inimiga: a Mulher-Leopardo. As filmagens da sequência de “Mulher-Maravilha”, que arrecadou US$ 822 milhões de bilheteria em todo o mundo, já começaram. Intitulado Mulher-Maravilha 1984, o longa será dirigido novamente pela aclamada diretora Patty Jenkins, com a estrela Gal Gadot no papel principal. A Warner Bros. Pictures também divulga as primeiras imagens do longa (anexas), que mostram a atriz e o retorno de um importante personagem: Steve Trevor, interpretado por Chris Pine.

O filme também é estrelado por Kristen Wiig no papel da super-vilã Mulher-Leopardo e Pedro Pascal. 


Charles Roven, Deborah Snyder, Zack Snyder, Patty Jenkins, Stephen Jones e Gal Gadot produzem o filme. Rebecca Roven Oakley, Richard Suckle, Wesley Coller, Geoff Johns e Walter Hamada são os produtores executivos.
Juntando-se ao time nos bastidores estão vários membros da equipe de “Mulher-Maravilha”, incluindo o diretor de fotografia Matthew Jensen, a designer de produção indicada ao Oscar Aline Bonetto (“O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”) e a figurinista ganhadora do Oscar Lindy Hemming (“Topsy-Turvy - O Espetáculo”). Já Richard Pearson (“Vôo United 93”), indicado ao Oscar, será o editor do filme.

A produção será filmada em Washington, D.C. e Alexandria (Virgínia), nos EUA, e também em locações no Reino Unido, Espanha e Ilhas Canárias. 

Com lançamento previsto para os cinemas brasileiros em 31 de outubro de 2019, Mulher-Maravilha 1984 é baseado na personagem criada por William Moulton Marston, aparecendo nos quadrinhos publicados pela DC Entertainment. O filme será distribuído mundialmente pela Warner Bros. Pictures, uma empresa da Warner Bros. Entertainment Company.

https://www.facebook.com/WarnerBrosPicturesBrasil
http://www.youtube.com/warnerbrospicturesbr


terça-feira, 12 de junho de 2018

TRAILER DE "UM PEQUENO FAVOR"



Blake Lively e Anna Kendrick estrelam o primeiro trailer de ‘Um Pequeno Favor’
DIRIGIDO POR PAUL FEIG, LONGA CHEGA AOS CINEMAS BRASILEIROS EM SETEMBRO

Protagonizado pelas atrizes Blake Lively (de “A Incrível História de Adaline” e “Águas Rasas”) e Anna Kendrick (de “A Escolha Perfeita 3” e “Arrume Um Emprego”), “Um Pequeno Favor” (A Simple Favor) chega aos cinemas brasileiros no dia 27 de setembro e tem seu primeiro trailer revelado. Para assistir ao vídeo com legendas em português, acesse: https://youtu.be/ADZSGEYaL84. A versão dublada está disponível em: https://youtu.be/FRmZJW96yXE.

Baseado no romance homônimo de Darcey Bell, a autora e o diretor Paul Feig utilizaram o método narrativo para contar a crônica através de três personagens principais: Stephanie Ward (Anna Kendrick), Emily Nelson (Blake Lively) e Sean Townsend (Henry Golding). No primeiro trailer, já é possível observar uma combinação ideal de mistério, romance, música e emoção.

Na produção, Stephanie (Anna Kendrick) é uma vlogger mãe que decide investigar o súbito desaparecimento de sua amiga Emily (Blake Lively) em sua pequena cidade. O elenco também reúne: Linda Cardellini, Rupert Friend, Eric Johnson, Jean Smart, Sarah Baker e Andrew Rannells.

No Brasil, a produção tem distribuição nacional Paris Filmes. O livro que deu origem ao filme tem lançamento da Bertrand Brasil, e já está disponível nas livrarias de todo país. Uma edição (tie-in), com a capa do filme, chega às livrarias em setembro, junto ao lançamento do longa.

Sinopse – Um Pequeno Favor
Quando a “nova amiga” de Stephanie (Anna Kendrick) pede para ela pegar seu filho na escola e depois desaparece misteriosamente, Stephanie procura descobrir a verdade por trás do súbito desaparecimento de Emily (Blake Lively). Stephanie é acompanhada pelo marido de Emily, Sean (Henry Golding) neste thriller cheio de reviravoltas e traições, segredos e revelações, amor e lealdade, assassinato e vingança. “Um Pequeno Favor” é um elegante filme noir pós-moderno dirigido por Paul Feig.

COMEÇAM AS FILMAGENS DE THE MULE, DE CLINT EASTWOOD


Além de dirigir, Eastwood também estrela o filme ao lado de Bradley Cooper, Laurence Fishburne, Michael Peña, Dianne Wiest, Alison Eastwood, Taissa Farmiga e Ignacio Serricchio

Começaram as filmagens do próximo longa-metragem do cineasta Clint Eastwood, o drama intitulado The Mule (ainda sem título em português), da Warner Bros. Pictures e da Imperative Entertainment. Além de dirigir, Eastwood estará novamente na frente das câmeras, dessa vez ao lado de Bradley Cooper, Laurence Fishburne, Michael Peña e Dianne Wiest, além de Alison Eastwood, Taissa Farmiga e Ignacio Serricchio.
Eastwood estrela como Earl Stone, um homem de 80 anos que está falido, sozinho e enfrentando o fim de seus negócios quando lhe é oferecido um emprego cuja única responsabilidade é dirigir. Sem perceber, e pensando ser um trabalho fácil, Earl acaba se tornando uma “mula” responsável pelo transporte de drogas para um cartel mexicano. E ele se sai bem – tão bem que sua carga aumenta exponencialmente, e designam um supervisor para Earl. Mas ele não é o único de olho em Earl; a misteriosa nova “mula” também entrou no radar do agente da DEA Colin Bates. E mesmo que seus problemas financeiros tenham ficado para trás, os erros passados de Earl começam a pesar sobre ele, e é incerto se ele terá tempo para corrigir esses erros antes que os policiais, ou os executores do cartel, o alcancem.
The Mule marca a primeira vez de Eastwood, vencedor do Oscar, em ambos os lados da câmera, desde que estrelou o aclamado “Gran Torino” em 2009.
Cooper, que estrela como Bates, recebeu sua mais recente indicação ao Oscar por seu trabalho com Eastwood, atuando e produzindo “Sniper Americano”. O indicado ao Oscar Fishburne (“Tina”, série de TV “Black-ish”) é um agente especial da DEA; Peña (ainda inédito “Homem-Formiga e a Vespa”, série “Narcos”) interpreta um colega agente; a vencedora do Oscar Wiest (“Tiros na Broadway”, “Hannah e Suas Irmãs”, série de TV “Life in Pieces”) interpreta a ex-mulher de Earl; Alison Eastwood (“Trilhos do Destino”) interpreta a filha de Earl; Farmiga (ainda inédito “A Freira”) faz o papel da neta de Earl; e Serricchio (série “Perdidos no Espaço”, “Padrinhos Ltda.”) interpreta o supervisor de cartéis de Earl.
Clint Eastwood (“Sully – O Herói do Rio Hudson”, “Sniper Americano”) dirige a partir do roteiro de Nick Schenk (“Gran Torino”). Eastwood também produz o filme sob sua bandeira Malpaso junto com Tim Moore, Kristina Rivera e Jessica Meier, além de Dan Friedkin e Bradley Thomas, da Imperative Entertainment. Os produtores executivos são Dave Bernad, Ruben Fleischer e Todd Hoffman. Jillian Apfelbaum, da Imperative, irá coproduzir.
O filme será filmado principalmente na Geórgia e no Novo México. The Mule é uma apresentação da Warner Bros. Pictures, em associação com a Imperative Entertainment. O filme será distribuído pela Warner Bros. Pictures, uma empresa da Warner Bros. Entertainment Company.

https://twitter.com/wbpictures_br




GALERIA SERÁ DISTRIBUIDORA DO NOVO FILME DE DANILO GENTILI


*Danilo Gentili e Fabricio Bittar repetem parceria

 *Filme é inspirado no clássico Os Caça-Fantasmas

 *Gravações já começaram e estreia acontece em Novembro de 2018
Murilo Couto, Danilo Gentili, Léo Lins e Dani Calabresa. Fotografia: Pedro Vaz. 

Galeria Distribuidora, braço da Vitrine Filmes dedicado ao lançamento de filmes com maior apelo comercial, anuncia a distribuição e início das gravações do segundo filme de Danilo Gentili, “Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro”, comédia de terror inspirada nos clássicos da década de 80, dirigidos por Sam Raimi, e também no inesquecível “Os Caça-Fantasmas”. Com direção de Fabrício Bittar, que repete a parceria com Gentili depois do longa “Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola”, o filme será protagonizado por Danilo Gentili e contará no elenco com seus companheiros de Talk Show, os humoristas Léo LinsMurilo Couto e a atriz da TV Globo Dani Calabresa.
 
*Link para download das imagens: https://goo.gl/DcGBhd
 
O filme traz o apresentador Ratinho, que representará um engraçado açougueiro e a atriz mirim Pietra Quintela, que protagoniza a novela do SBT “As Aventuras de Poliana”, e interpretará a Loira do Banheiro.

O apresentador do SBT nordeste Sikêra Júnior, líder de audiência, também participará do filme. O elenco ainda conta com dois atores de Carrossel, Matheus Ueta (Kokimoto) e João Paulo Campos (Cirilo).
 
O longa acompanha os passos de quatro youtubers especializados em eventos e aparições sobrenaturais. O grupo, que almeja conquistar o reconhecimento do público, tenta desvendar a lenda urbana da Loira do Banheiro, espírito que assombra o banheiro de escolas no Brasil.

Eu admiro muito o pessoal que faz terror no Brasil. Eles continuam firmes e fortes por aqui mesmo sem o mercado nacional dar tanta importância ao gênero. Eu espero que fazer algo de terror e gore em um circuito comercial, possa fazer o público prestar mais atenção nos talentos que temos nesse estilo no Brasil. Espero que isso de alguma maneira contribua com essa cena por aqui”, explica Danilo Gentili.

As gravações do longa, que começaram no último final de semana de maio e se estendem até meados de julho, acontecem em São Paulo e se mostram diferente do que as produções nacionais estão acostumadas, já que no set de filmagem prevalecem diversos efeitos especiais, mais raros em filmes brasileiros.

É um filme de terror com muito sangue, lutas, tiros, pessoas possuídas e elementos bem diferentes. Teremos várias traquitanas de efeitos e muitas delas criadas especialmente para o filme. Queremos usar pouca pós-produção. Os efeitos serão feitos como nos filmes de terror da década de 80”, afirma o diretor Fabrício Bittar.
 
O filme promete uma continuação, já que no desenvolvimento do roteiro, Gentili e Bittar viram a capacidade dos personagens e o pensamento foi tão certo que já estão produzindo uma série para a TV que será exibida, ainda em 2019, pelo Warner Channel. Na série, “Os Exterminadores” terão mais fantasmas para perseguir e muitos enigmas para resolverem.

Gentili e Bittar planejam também a continuação de “Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola”. Além do cinema, Danilo e Fabrício trabalharam juntos em "Politicamente Incorreto", para o canal FX. A série foi finalista do prêmio APCA e teve grande audiência.

A Galeria Distribuidora informa que o lançamento do filme está previsto para novembro de 2018.

Sobre a Galeria Distribuidora
A Galeria Distribuidora, braço da Vitrine Filmes dedicado ao lançamento de filmes com maior apelo comercial, tem a intenção de distribuir filmes que unam qualidade de produção e apelo popular, buscando espaço crescente junto à produção nacional e internacional.

Sempre com inovação e dinamismo, a Galeria está envolvida com toda a produção do filme, desde a concepção até produção.