quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

ANIMAÇÃO FRANCESA "A FAMOSA INVASÃO DOS URSOS NA SICÍLIA" ESTREIA

 

Cena de 'A famosa invasão dos ursos na Sicília' (crédito: divulgação/Bonfilm)

A animação francesa ‘A famosa invasão dos ursos na Sicília’ estreia no NOW da Claro/NET e na Vivo TV

DEPOIS DE SER EXIBIDO NOS CINEMAS NO FESTIVAL VARILUX 2020, LONGA CHEGA ÀS PLATAFORMAS DE VOD DIA 17 DE DEZEMBRO

Uma fábula com valores universais como a amizade, a importância da família e da natureza. Assim é “A Famosa invasão dos ursos na Sicília”, animação  do renomado ilustrador italiano Lorenzo Mattotti, que chega ao NOW da Claro/NET e ao Vivo TV nesta quinta-feira, dia 17 de dezembro. O longa, que acaba de integrar a programação do Festival Varilux de Cinema Francês  2020, é baseado no livro homônimo do escritor italiano Dino Buzzati, tem trilha sonora de René Aubry e vozes de Jean-Claude Carrière, Leïla Bekhti e Thomas Bidegain. A distribuição no Brasil é da Bonfilm.

Indicado em seis categorias no Festival de Cannes 2019, ao César 2020 de melhor animação e vencedor do Prêmio da Fondation GAN pour le Cinéma, o longa-metragem arrancou elogios da crítica francesa e da brasileira. Mattoti conta que leu o livro primeira vez, quando tinha 16 anos, entre o fim dos anos 1960 e o início dos anos 1970. Muitos tentaram comprar os direitos para verter o livro para o cinema, mas Buzzati sempre recusou. Após a sua morte, o ilustrador acabou convencendo a viúva do escritor. Foram quase dois anos de trabalho, desde a pré-produção, para que a animação ficasse pronta e integram a equipe cerca de 150 pessoas.

Destinado a toda a família, a história de “A Famosa invasão dos ursos na Sicília” começa com o rei dos ursos em busca do filho desaparecido. Ele lidera seu clã até as montanhas da Sicília e, alegando rigor de um inverno que ameaça matar todos de fome, decide invadir a planície habitada pelos homens. Com ajuda de seu exército e de um mágico, o rei consegue obter a vitória e reencontra o filho. Mas logo chega à conclusão de que o povo dos ursos não foi feito para viver no país dos homens...

Fotoshttps://drive.google.com/drive/folders/1NYtTMyCZ2JzFsPem1Pyfk0dVnNLkHl3R?usp=sharing

Trailer: https://youtu.be/KsjaQDsfan4

       “Fábula ecológica que põe frente a frente a inocência dos animais e a corrupção política, este filme – no qual se sobrepõem várias narrativas – extrai seu encanto de diferentes fontes, desde lendas do Mediterrâneo até a Renascença italiana passando pela commedia dell’arte e pelo veterano do cinema de animação francês, Paul Grimault.”

Guillemette Odicino, Télérama

Pequena joia do cinema de animação a serviço de uma poderosa parábola
sobre a obsessão pelo poder – o conjunto é apresentado com um tratamento gráfico espetacular.”

Olivier Pélisson, Bande à part

Arte de alto nível, a serviço de uma história cheia de reviravoltas e de humor tragicômico: um filme precioso tanto para as crianças, como para os adultos.”
Renaud Baronian, Le Parisien

Primeiro longa-metragem de sua carreira, Lorenzo Mattotti é mais conhecido por seus trabalhos como ilustrador em revistas do mundo inteiro, como Cosmopolitan, Vogue, The New Yorker, Le Monde e Vanity Fair. Em 2005 esteve no Brasil para conhecer, acompanhar e desenhar o carnaval carioca. No ano seguinte, o artista voltou ao país para autografar o resultado de seu trabalho, o livro “Carnaval – Cores e Movimentos”, da Editora Casa 21.

Ele publicou suas primeiras histórias em quadrinhos no fanzine francês Biblipop e, em seguida, na revista Circus. Em 1977, lançou seu primeiro livro “Alice Brum-Brum”, adaptação livre e fantasiosa de Alice no País das Maravilhas. Seu primeiro trabalho foi marcado pela influência dos quadrinhos underground norte-americanos. Aos poucos evoluiu e, a partir de 1982, com “Il Signor Spartaco”, passou a um universo bastante pictórico apoiado no uso de tinta a óleo e pastéis. A partir de 1984, publica na revista Alter Alter a HQ Fuochi (Fogos), que o consagra como “um dos desenhistas mais marcantes da nova geração italiana”.

Lorenzo Mattotti recebeu diversos prêmios por seus desenhos, entre os quais o Grande Prêmio da Bienal de Ilustração de Bratislava (BIB), em 1993, por Eugenio e o Yellow Kid de melhor ilustrador de 1997, em Roma.

      _________________________________________________________________

Sobre a Bonfilm Produtora e distribuidora, a Bonfilm é realizadora do Festival Varilux de Cinema Francês, que completou dez anos em 2019. Sucesso de público e mídia, o evento esteve no ano passado em 86 cidades e 23 estados brasileiros. Nesses dez anos foram realizadas cerca de 35 mil sessões e somou um público de mais de um milhão de espectadores (1.064 milhão).  Desde 2015, a Bonfilm realiza também o festival de filmes ópera "Ópera na Tela" ao ar livre no Rio de Janeiro e em cinemas de todo Brasil. Em 2019 promoveu uma primeira edição em São Paulo.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

FESTIVAL SE RAGUM CHEGA À TV COM SHOWS DE ZÉLIA DUNCAN E XENIA FRANÇA

 


 



Registro gravado ao vivo vai ao ar nos dias 16, 17 e 18 de dezembro, às 19h30, no canal Music Box Brazil   
O Festival Se Ragum, cultuado celeiro de tendências da música independente brasileira, chega à televisão por assinatura. O evento, que deixa Belém do Pará pela primeira vez em 15 anos, finca raízes em São Paulo, para três dias de shows exclusivos com Zélia Duncan, Xenia França e músicos paraenses. As apresentações gravadas ao vivo vão ao ar em rede nacional nos dias 16, 17 e 18 de Dezembro, às 19h30, no canal Music Box Brazil.
 
O primeiro dia de exibição (14) se sobressai pela interação entre Zélia Duncan e Arthur Nogueira. Antes de se conhecerem, a dupla gravou o single “Dessas manhãs sem amor”, obra criada à distância no isolamento que versa sobre incertezas. Prestes a completar 40 anos de carreira, a artista conhecida pelo lado intérprete tem se dedicado à composição. Antes deles, sobem ao palco nesta noite os artistas Elder Effe e os Comparsas, Thais Badu e STRR.
 
O segundo dia (21) abre espaço para Edgar e Jadsa. A performance nada convencional une a extravagância do rapper paulista, cujo estilo intercala repentes sobre bases eletrônicas, com a voz potente da cantora e compositora baiana, que transita pelos ritmos percussivos do candomblé à atitude punk. Também assumem os shows desta noite Pelé do Manifesto e Everton MC, Kikito e Farofa Tropikal.
 
O encerramento (28) da transmissão fica por conta de Xenia França. A cantora e compositora baiana sobe ao palco ainda como integrante do grupo paulistano Aláfia. A artista também vai cantar músicas de seu álbum solo “Xenia” (2017), obra que reúne influências da música negra, como Olodum, Michael Jackson, Elza Soares, Milton Nascimento e Gilberto Gil. Completam o line-up Anna Suav, Orquestra Aerofônica e Joana Marte.
 
O Festival Se Ragum foi gravado no Tropical Butantã, casa de espetáculos situada na zona oeste de São Paulo. Segue os protocolos e orientações pandêmicas estabelecidas pelos governos federal e estadual, entre eles, redução de equipes e ausência de plateia no local.
 
SERVIÇO: TRANSMISSÃO DO FESTIVAL SE RAGUM
Quando: 16, 17 e 18 de Dezembro, às 19h30
TV por assinatura: Music Box Brazil
Reprises: 3, 10 e 17 de Janeiro, às 12h
Classificação indicativa: 12 anos
 
PROGRAMAÇÃO
- 16 de Dezembro:  Elder Effe e os Comparsas / Thais Badu / STRR / Zélia Duncan e Arthur Nogueira
- 17 de Dezembro:  Pelé do Manifesto e Everton MC / Kikito / Farofa Tropikal / Edgar e Jadsa
- 18 de Dezembro: Anna Suav / Orquestra Aerofônica / Joana Marte / Xenia França
 
SOBRE MUSIC BOX BRAZIL -  O canal de TV por assinatura  Music Box Brazil  se dedica aos variados estilos da música brasileira. Exibe shows, videoclipes, séries, documentários, entrevistas e programas exclusivos com músicos consagrados, em ascensão, nacionais e regionais. Integra a Box Brazil, maior a programadora independente de canais brasileiros na TV paga, que alcança cerca de 36 milhões de pessoas diariamente. Integra o portfólio da Box Brazil, maior programadora independente de canais brasileiros na TV por assinatura. O Music Box Brazil é distribuído pelas principais operadoras no Brasil (inclui NET, Claro, Sky, Vivo e Oi) e por plataformas de streaming no mercado internacional (Amazon Prime Video e TeleUP).

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

FEED DOG BRASIL 2020: CINEMA, MODA, OFICINA, DEBATE E MUITO MAIS

DOCUMENTÁRIO INÉDITO SOBRE O ESTILISTA PIERRE CARDIN, UM DOS MAIORES ÍCONES DA MODA MUNDIAL, ABRE O  FEED DOG BRASIL – FESTIVAL INTERNACIONAL DE DOCUMENTÁRIOS DE MODA 2020

**Evento acontece online, totalmente gratuito e disponível em todo território nacional por meio do site: www.feeddog.com.br 

 ** Première Nacional de “Martin Margiela: In His Own Words”, sobre o enigmático designer Martin Margiela.  

** Documentários sobre grandes nomes do mundo da moda como a top model italiana Benedetta Barzini, musa de Andy Warhol, Salvador Dalí e Richard Avedon, o icônico fotógrafo Robert Mapplethorpe, o gênio da moda Alexander McQueen, entre outros. 

**  Os premiados “Favela é Moda” e “Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar” são alguns destaques nacionais.  

** Oficinas, talks e debates gratuitos com grandes nomes da moda brasileira.  

** “House of Cardin” abre o festival no dia 15/12, às 20h.  

** Master Talk com o estilista Ronaldo Fraga no dia 16/12, às 19h30.  

** de 15 a 20 de Dezembro de 2020.

  

O FEED DOG BRASIL - Festival Internacional de Documentários de Moda está de volta! O evento acontece de 15 a 20 de Dezembro, em edição online, disponível em todo território nacional.

Com curadoria da jornalista Flavia Guerra, o festival apresenta uma seleção de 15 títulos brasileiros e internacionais, a maior parte inédita no circuito de cinema, TV ou VOD do país, com 2 pré-estreias nacionais. Todos os filmes estarão disponíveis gratuitamente no site feeddog.com.br.

No mundo contemporâneo, em um ano que trouxe tantos desafios, é crucial pensar e repensar a moda e a forma como a produzimos e nos relacionamos com ela. Por isso, a programação do Feed Dog Brasil 2020 propõe uma celebração à moda, a seus grandes criadores, mas também promove um debate sobre os desafios criativos, sociais, culturais, de consumo, de sua relação com o meio ambiente, com os direitos trabalhistas, com a atitude antirracista e com uma política inclusiva de fato. Que moda queremos para o futuro? Como ser empreendedor do setor, como pensar a moda como patrimônio cultural e como entender as políticas públicas para o setor? Como continuar criando moda responsavelmente e produzir muito mais do que roupa? Qual o propósito da moda em um mundo em constante transformação?

São muitas questões e muitas inspirações que o Feed Dog Brasil 2020 propõe tanto em sua mostra de filmes internacionais e nacionais quanto nas atividades formativas.

A cerimônia de abertura acontece no dia 15/12, terça, às 20h, ao vivo e online, seguida da pré-estreia nacional do documentário “House of Cardin”, de P. David Abersole e Todd Hughes. Inédito no Brasil, o filme mostra um dos maiores ícones da moda mundial, o estilista Pierre Cardin, ainda em atividade e que completou 98 anos em 2020. Sua marca está em roupas, calçados, acessórios, perfumes, malas, jóias e até em aviões. Trabalhador incansável, Cardin espalhou seu nome pelos cinco continentes, sempre com propósitos e ideias muito claras. Neste filme, ele conta sua história, mostra suas principais criações, fala sobre suas frustrações e dilemas sem, em momento algum, perder o senso de humor.   

Na lista de filmes que retratam grandes personagens do mundo fashion, “Martin Margiela: In His Own Words”, de Reiner Holzemer (Bélgica, Alemanha/2019), um dos mais interessantes filmes da produção atual, também faz sua estreia nacional no festival. Controverso, criativo, iconoclasta, enigmático, genial, Martin Margiela tanto produziu como questionou a moda. O estilista belga é referência quando se pensa em nomes que fizeram história e, mesmo assim, concedeu pouquíssimas entrevistas na vida. Neste filme, para o qual Margiela colaborou e criou uma parceria com o diretor, temos a rara oportunidade de entender  a trajetória, as criações e a visão de mundo de Margiela por suas próprias palavras.

 

O celebrado “The Disappearance Of My Mother”, de  Beniamino Barrese (Itália/2019), parte do perfil de uma das maiores modelos da história da moda italiana para tratar de temas como feminismo, objetificação e comoditização do corpo da mulher. Ao mesmo tempo, é o retrato carinhoso, mas também contundente, de um filho sobre sua mãe. Benedetta Barzini foi a primeira modelo italiana a posar para a capa da Vogue America, alcançou o status de grande figura da moda, foi fotografada por Irving Penn e Richard Avedon, amiga de Salvador Dalí e Andy Warhol, mas decidiu abandonar a moda e a fama. Quem é de fato esta mulher controversa, crítica, bela e questionadora?

Beniamino Barrese, que com seu filme de estreia integrou a seleção oficial do Festival de Sundance 2019, filma o que é também uma investigação sobre uma figura que lhe é tão íntima mas também distante.

O documentário McQueen, de Ian Bônhote e Peter Ettedgui (Reino Unido / 2018), mergulha na intimidade de um dos maiores nomes da moda de todos os tempos, o estilista britânico Alexander McQueen. Um retrato emocionante de um visionário da moda, um gênio na passarela que foi incapaz de lidar com o sucesso e encontrar a paz. Contando com entrevistas e depoimentos exclusivos de pessoas próximas,  familiares e personalidades do mundo da moda, o filme mostra a genialidade do artista, até sua morte precoce aos 40 anos.

 

A programação internacional conta ainda com os premiados documentários Mapplethorpe: Look at The Pictures”, de Fenton Bailey e Randy Barbato (Alemanha, Estados Unidos/2016), um clássico que retrata um dos mais provocativos, criativos, chocantes e importantes artistas do século 20. O fotógrafo quebrou paradigmas e levou a fotografia, até então desprezada como ‘arte menor’ ao patamar de arte que não só é digna de integrar as coleções e museus de arte mais prestigiados do mundo (como o Guggenheim Museum de Nova York) quanto ser vendida a milhares de dólares.  É sua vida, repleta de altos e baixos, polêmica, sexo, amor, erotismo, arte, som, ousadia, excessos, beleza e dificuldades que Look at the Pictures traz. Sem concessões, sem receio de revelar as nuances da personalidade e do trabalho deste grande artista, que mudou não só a maneira como o mundo vê a fotografia mas influenciou e influencia gerações de fotógrafos pelo mundo, inclusive, e talvez principalmente, os fotógrafos de moda.


Já “Machines, de Rahul Jain (Índia, Alemanha, Finlândia/2017), que fez uma carreira de sucesso em festivais internacionais, é um olhar atento sobre as condições de trabalho de uma indústria têxtil na Índia. Nela, os operários encaram jornadas extenuantes de trabalho em condições precárias e nem mesmo direito a equipamentos de segurança e pausa para descanso. Em meio a tudo isso, o olhar que tanto o diretor Jain quanto o diretor de fotografia Rodrigo Trejo Villanueva lançam sobre o cotidiano desta fábrica é de uma beleza rara. Sem discurso, entrevistas ou narração, Machines nos convida a embarcar nesta jornada com os trabalhadores e nos questionarmos sobre nossa própria responsabilidade sobre a indústria da moda globalizada.

A ascensão e queda do império Halston parece ficção e é relembrada na produção americana “Halston”, de Frédéric Tcheng (Estados Unidos/2019). O filme traz a história de como um garoto que fazia os chapéus de Bergdorf Goodman se converteu no rei da moda americana e foi derrubado por ele mesmo.


Em um diálogo que olha para a diversidade da moda, “Bangaologia – The Science of Style”, do angolano Coréon Dú, faz um colorido panorama da Bangaologia, suas origens, sua influência na moda e no estilo do mundo contemporâneo, que extrapola os limites de sua África natal e ganha adeptos na Europa, nos Estados Unidos e em outros continentes. Como diz um dos entrevistados do longa, “Um Bangão é sempre Bangâo.” Mas o que é ser um Bangâo? O que é a energia, a essência e o ingrediente africano que inspiram tanto criadores de arte, de moda e estilo quanto músicos e apaixonados pela Banga? Além de buscar respostas, Coréon Dú quebra conceitos pré-concebidos sobre a cultura e a moda africana e traz um olhar interessado e autêntico sobre a África atual e multifacetada. 

A produção nacional do Feed Dog revela como o universo da moda no Brasil é rico e plural, com filmes premiados e que conquistaram prestígio internacional como “Favela É Moda”, de Emílio Domingos (Brasil/2019), eleito como melhor documentário pelo público do Festival do Rio 2019 e, recentemente, como melhor longa no XII Prêmio Pierre Verger de Filme Etnográfico 2020. Ao acompanhar uma geração que acredita na afirmação de identidades e sexualidades, e que se prepara para integrar as grandes passarelas e editoriais, o filme questiona a força estética e política de jovens negros em busca de realização pessoal no mundo da moda.

O premiado “Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar”, de Marcelo Gomes (Brasil / 2019), revela como a indústria do jeans mudou a vida da pequena Toritama, no interior de Pernambuco. Mais de 20 milhões de calças jeans são produzidas anualmente na cidade, em dezenas de fábricas caseiras, por operários que são também chefes de si mesmos e que não param jamais; a não ser no Carnaval. Com olhar atento, o documentário questiona o significado do trabalho, do lazer e da qualidade de vida em um mundo cada vez mais rápido.


Entre os filmes nacionais, destaque ainda para os longas “Fios de Alta Tensão”, de Sérgio Gagliardi-Gag (Brasil / 2018), e “Deixa na Régua”, de Emílio Domingos  (Brasil / 2016), obras complementares, que retratam a beleza, o significado e o valor do cabelo para a vida, a socialização e a construção da identidade de indivíduos, comunidades e grupos étnicos. Completam a seleção os curtas “Alfaiates de Belo Horizonte”, de  Sílvia Godinho e Ana Luísa Santos (Brasil / 2013), “Mini Miss”, de Rachel Daisy Ellis (Brasil / 2018), e “Planeta Fábrica”, de  Júlia Zakia (Brasil / 2018).


PENSANDO E FAZENDO A MODA DO FUTURO 

Além da programação de filmes, o FEED DOG BRASIL 2020 oferece também, de forma gratuita e online, oficinas, talks e debates com grandes nomes da moda brasileira, como o estilista mineiro  Ronaldo Fraga, que participa de Master Talk com o tema “A moda além da roupa”, mediada pela jornalista e curadora do festival, Flavia Guerra, no dia 16/12, quarta-feira, 19h30, ao vivoO professor, consultor em negócios e cultura de moda e fundador do @movimentomcm (Moda Contemporânea Mineira), Aldo Clécius, ministra a oficina online “Business Plan no Negócios de Moda”, nos dias 17/12 e 18/12, quinta e sexta-feira, das 16h às 19h.

 

Já a jornalista e pesquisadora em Moda e Política, Valéria Said, é a convidada do talk “Moda & Políticas Públicas Culturais”, no dia 17/12, quinta-feira, 17h. No mesmo dia, às 19h30, a comunicadora e ativista Flávia Durante, criadora da feira Pop Plus, faz uma reflexão sobre o que a moda precisa para ser de fato diversa e inclusiva para todos os corpos, no talk “Moda para todos”, com mediação de Flavia Guerra.  

Em tempos de pandemia, e no pós-pandemia, quais são os desafios em se pensar e fazer moda? Essa é uma das questões do debate “A moda do futuro e o futuro da moda” com Juliana Lopes e Lena Santana, no 18/12, sexta-feira, 17h. O diretor do premiado documentário “Favela É Moda”, Emílio Domingos, junto com Camila Reis, modelo e uma das protagonistas do filme, e Clariza Rosa, empreendedora e inovadora social,  conversam com Marcelo Aliche, diretor artístico do festival, e Flavia Guerra, na sexta-feira, às19h30.  

A oficina “O Turbante e seus significados”, com Thaís Muniz – pioneira no estudo do uso de turbantes, da cultura afro-atlântica e de seus significados em diferentes contextos culturais – acontece no dia 19/12, sábado, às 16h, com 80 vagas, encerrando a programação paralela.

**** Todas as atividades paralelas serão transmitidas ao vivo, com acesso gratuito.

 

O FEED DOG nasceu em Barcelona em 2015 e chegou ao Brasil em 2017, onde foram realizadas edições presenciais em São Paulo, Belo Horizonte e Brasília.

 

Com patrocínio máster da RIACHUELO, através do ProAC ICMS de São Paulo, o evento conta em 2020 com o copatrocínio de COLOMBO AGROINDÚSTRIA, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.  

Para mais informações sobre a programação, disponibilidade de cada filme e atividades paralelas, consulte o site feeddog.com.br

 

DOCUMENTÁRIOS - ACESSO GRATUITO 

Documentários Internacionais:  

House of Cardin

P. David Abersole, Todd Hughes

Estados UnIdos | 2019 | 97 min.

Existem poucos nomes mais universais do que Pierre Cardin. Sua marca está em roupas, calçados, acessórios, perfumes, malas, joias… aviões. Trabalhador incansável, Cardin espalhou seu nome pelos cinco continentes, sempre com propósitos e ideias muito claras. Neste filme, ele conta sua história, mostra suas principais criações, fala sobre suas frustrações e dilemas sem, em momento algum, perder o senso de humor. *Filme de abertura - Inédito no Brasil

 

Martin Margiela: In His Own Words

Reiner Holzemer

Bélgica, Alemanha | 2019 | 90 min.

Mesmo dez anos depois de deixar o mundo da moda, o nome Martin Margiela ainda desperta uma mistura de mistério, admiração e intriga que nenhum outro designer conseguiu reunir. Sem nunca ter saído do anonimato (nunca se deixou fotografar), suas mãos acompanham sua voz para revelar pela primeira sua infância, sua trajetória profissional e seu deslumbrante processo criativo.  *Inédito no Brasil

 

The Disappearance of my mother

Beniamino Barrese

Itália / 2019 / 96 min.

“Podem me vestir, pentear e maquiar como quiserem, mas o meu eu verdadeiro não é fotografável porque não estou à venda", disse a modelo italiana Benedetta Barzini quando era um dos rostos favoritos de Richard Avedon, Irving Penn, Diana Vreeland e também de Andy Warhol. Ela logo percebeu que o ideal de beleza feminina foi construído pelo olhar masculino, e se rebelou contra isso. Décadas depois, seu caráter irreverente e combativo permanece indomável: aos 75 anos, sua missão é sumir do mapa e dar adeus a esse mundo obcecado pela imagem. *Inédito no Circuito

 

Halston

Frédéric Tcheng

Estados Unidos / 2019 / 120 min.

A ascensão e queda de um dos maiores nomes da indústria da moda mundial parece coisa de livro. Halston começou trabalhando na fábrica de chapéus Bergdorf Goodman, se transformou no rei da moda nos Estados Unidos e, em pouco tempo, caiu pelo seu próprio peso. Designer favorito de celebridades como Jackie Kennedy, Bianca Jagger, Liza Minelli, entre outras, Halston tem uma história cheia de drama, luxo, sucesso, glamour, ciúmes e paixão. *Exibido no Feed Dog Brasil 2019 (MG) - Inédito no Circuito

 

McQueen

Ian Bônhote, Ettedgui

Reino Unido / 2018 / 111 min.

Alexander McQueen sempre foi uma pessoa inquieta. Um gênio na passarela – onde conseguia exorcizar seus demônios – mas incapaz de lidar com o sucesso e encontrar a paz. Contando com depoimentos de pessoas próximas e vídeos caseiros, este filme de Ian Bonhôte e Peter Ettedgui mergulha na intimidade do personagem para contar a trajetória brilhante e trágica do artista. Um o retrato definitivo de um dos últimos enfants terribles da moda. *Exibido no Feed Dog Brasil 2019 (MG)

 

Machines

Rahul Jain

Índia, Alemanha, Finlândia / 2017/ 71 min.

O diretor Rahul Jain mostra o dia a dia em uma fábrica de tecidos em Gujarate, no oeste da Índia. Aqui o movimento repetitivo das máquinas se mistura com o trabalho mecânico, estafante e insalubre de centenas de trabalhadores que fazem jornadas de 12 horas. São os representantes de uma mão de obra barata, que não conhece direitos trabalhistas, idade ou condições de higiene e que encontra no trabalho duro a única saída para garantir o sustento de suas famílias. *Exibido no Feed Dog Brasil 2019 (MG) - Inédito no Circuito

 

Mapplethorpe: Look at The Pictures

Fenton Bailey, Randy Barbato

Alemanha, Estados Unidos / 2016 / 108 min.

Robert Mapplethorpe foi um dos artistas mais criativos, provocativos e importantes do século 20. Em sua curta carreira, quebrou paradigmas, escandalizou conservadores e liberais e chegou aos museus de arte mais prestigiados do mundo. Para contar essa história, os diretores Fenton Bailey e Randy Barbato não fizeram concessões e revelam a personalidade complexa desse grande artista, que continua influenciando gerações de fotógrafos no mundo inteiro.

 

“Conte tudo a ela. Me mantenha vivo”, disse Robert Mapplethorpe pouco antes de morrer a David Croland, o primeiro namorado do fotógrafo e um de seus mais famosos modelos. Mapplethorpe havia contratado uma biógrafa e queria que sua história fosse contada, que seu trabalho continuasse a ser visto e discutido e sua vida continuasse a ser lembrada.

Mesmo que nunca tivesse tido esta preocupação em ter uma biografia, sua polêmica trajetória jamais seria esquecida. Um dos mais provocativos, criativos, chocantes e importantes artistas do século 20, o fotógrafo quebrou paradigmas e levou a fotografia, até então desprezada como ‘arte menor’ ao patamar de arte que não só é digna de integrar coleções e museus de arte mais prestigiados do mundo (como o Guggenheim Museum de Nova York) quanto ser vendida a milhares de dólares.

Quando começou sua carreira, nos anos 1960, sua obra valia tão pouco que a escritora Fran Lebowitz jogou alguns de seus trabalhos fora. Em 1998, quase uma década depois de sua morte, o acervo de Mapplethorpe foi avaliado em 228 milhões de dólares. “Ninguém imaginaria. Ninguém queria fotografias”, diz Fran em Mappletthorpe – Look at The Pictures. “Tudo que foi preciso para se tornar Robert Mapplethorpe... E foi preciso dar sua vida. Literalmente”, diz Edward Mapplethorpe, irmão mais novo e assistente de Robert por vários anos. *Exibido no Feed Dog Brasil 2017 (SP)

 

Bangaologia - The Science of Style

Coréon Dú

Angola / 2016 / 85 min.

“Um Bangão é sempre Bangão” Mas o que é ser um Bangão? “Banga” é o termo africano que faz referência a uma forma de vestir característica do povo de Angola. Um estilo colorista que reza: “quanto mais extravagante, melhor”. Neste filme, o cineasta Coréon Dú quebra conceitos preestabelecidos sobre a cultura africana e dá um novo significado ao termo, mostrando as origens desse movimento e sua influência na moda e no estilo do mundo contemporâneo. Além de cineasta, Coréon Dú é músico, produtor cultural, designer e artista plástico. Foi eleito o Homem do Ano no Angola Fashion Awards 2015. “Bangaologia” já integrou a programação de diversos festivais pelo mundo, recebeu a Menção Honrosa no Indie Fest Film Awards 2017.


Para o cineasta Coréon Dú, que em sua obra sempre investigou a cultura angolana, o que atrai a atração do mundo para Angola é a forma única e autêntica do angolano expressar seu estilo, sua banga. “É muito interessante que, quanto mais eu viajo e trabalho pelo mundo, mais eu vejo um crescimento do interesse pela arte, moda, arquitetura africanas, especificamente de Angola. Há poucos países africanos que falam português. E o fato de que as pessoas querem saber mais sobre isso foi isso que me levou a esta jornada de pesquisa, entrevistas com pessoas de Angola e de outros países”, declarou o diretor em sua participação no WWF – Festival de Cinema de Varsóvia 2016, onde o filme fez sua première mundial.

Além de cineasta, Coréon Dú é músico, produtor cultural, designer, artista plástico, entre outras funções sempre ligadas ao mercado cultural e à moda. É colaborador das edições do c rso Elite Model Look em vários países africanos e fundou a agência Da Banda Model Management, com a qual já descobriu e revelou para o circuito fashion internacional diversos nomes, tais como as tops Alécia Morais, Maria Borges, Roberta Narciso.

Uma das mais proeminentes personalidades do mercado criativo africano atual, foi eleito o Homem do Ano do Angola Fashion Awards 2015. Corén Dú também criou, em 2014, a grife WeDú e dirigiu o documentário I Love Kuduro, também em 2014. Bangaologia já integrou a programação de diversos festivais pelo mundo e recebeu a Menção Honrosa no IndieFest Film Awards 2017 e foi indicado a Melhor Documentário do London Fashion Film Festival 2016. *Exibido no Feed Dog Brasil 2017 (SP) - Inédito no Circuito 

Documentários Nacionais:  

Favela É Moda

Emílio Domingos

Brasil / 2019 / 75 min.

Abordando a recente tendência do surgimento de agências de modelos na periferia das grandes cidades, Favela É Moda apresenta uma geração que acredita na afirmação de identidades e sexualidades.  O filme questiona a força estética e política de jovens negros em busca de realização pessoal no mundo da moda. Melhor Documentário (Júri Popular) e Menção Honrosa (Júri Oficial) no Festival do Rio 2019. *Inédito no Circuito

 

Fios de Alta Tensão

Sérgio Gagliardi-Gag

Brasil / 2018 / 78 min.

O que o seu cabelo fala a seu respeito? Com um tom que passeia entre o coloquial e o antropológico, o documentário Fios de Alta Tensão, de Sergio Gag, faz uma investigação sobre a importância do cabelo – o corte, o penteado, o turbante e outros adereços – na construção da identidade de indivíduos, comunidades e grupos étnicos. O filme percorre São Paulo, Rio, Salvador e Belém para ouvir histórias de resistência, afirmação cultural e superação. É o cabelo revelando a diversidade racial, etária, socioeconômica e de gênero dos brasileiros. *Exibido no Feed Dog Brasil 2018 (MG) - Inédito no Circuito

 

Deixa na Régua

Emílio Domingos

Brasil / 2016 / 85 min.

Deixa na Régua acompanha o dia a dia das barbearias da zona norte do Rio de Janeiro para revelar como o novo jovem brasileiro se relaciona com a beleza. No filme, o diretor Emílio Domingos retrata o cotidiano dos salões de beleza masculinos nas comunidades cariocas, colocando-se ao lado dos barbeiros desses lugares. Deixa na Régua é o segundo longa da Trilogia do Corpo, iniciada com A Batalha do Passinho, de 2013, e concluída com Favela É Moda, de 2019, destaque desta edição do Feed Dog Brasil. *Exibido no Feed Dog Brasil 2017 (SP)

 

Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar

Marcelo Gomes

Brasil / 2019 / 85 min.

A cidade pernambucana de Toritama é considerada um centro ativo do capitalismo local. Aqui, mais de 20 milhões de calças jeans são produzidas anualmente, em dezenas de fábricas caseiras. Orgulhosos de serem seus próprios chefes, os proprietários dessas fábricas trabalham sem parar em todas as épocas do ano, exceto no carnaval. Quando chega a semana de folga, eles vendem tudo que produziram e vão descansar alguns dias em praias paradisíacas. Exibido e premiado em diversos festivais nacionais e internacionais. *Exibido no Feed Dog Brasil 2019 (MG)

 

Alfaiates de Belo Horizonte

Sílvia Godinho e Ana Luísa Santos

Brasil / 2013 / 15 min.

Cinco alfaiates de diferentes gerações e origens revelam suas memórias, a trajetória na profissão e a relação da alfaiataria com a capital mineira. Um olhar sobre a passagem do tempo e este ofício, que hoje é ameaçado pela industrialização, mas que sobrevive baseado na excelência de seus profissionais. *Exibido no Feed Dog Brasil 2019 (MG)

 

Mini Miss

Rachel Daisy Ellis

Brasil / 2018 / 16 min.

Filmado inteiramente sob a perspectiva de uma criança de quatro anos, Mini Miss acompanha cinco meninas entre 3 e 5 anos de idade, que participam do c rso de beleza Mini Miss Baby Brasil. O filme oferece uma visão única sobre a primeira infância, mostrando a capacidade de resistência das crianças em um mundo dominado por normas e desejos de adultos. *Exibido no Feed Dog Brasil 2018 (MG) - Inédito no Circuito

 

Planeta Fábrica

Júlia Zakia

Brasil / 2018 / 11 min.

Este curta-metragem registra os últimos vapores de uma fábrica de chapéus em Campinas, no interior de São Paulo, que está prestes a ser demolida. Em linguagem de cinema direto, a diretora Júlia Zakia revê 100 anos de história em 11 minutos de sons e imagens que falam por si. *Exibido no Feed Dog Brasil 2019 (MG) - Inédito no Circuito 

  

PROGRAMAÇÃO PARALELA - ACESSO GRATUITO  

MASTER TALK |  Ronaldo Fraga: “A moda além da roupa”

Mediação: Flavia Guerra.

No complexo mundo contemporâneo, a moda se liberta da roupa e, ao mesmo tempo, também é a primeira mídia, ou o primeiro meio, com que nos comunicamos com o mundo. Em tempos de pandemia e também no pós-pandemia, que propósito, para além de vender roupas, queremos ter e que história contamos? Nesta conversa, o estilista irá falar de sua trajetória, seu propósito e seus valores, além de comentar suas criações, tendo como foco central o desfile que encerrou a SPFW 2020, em novembro, em que rememorou a coleção “Quem Matou Zuzu Angel“, lançada em 2001. Com “Zuzu Vive”, Fraga apresentou sua nova coleção com modelos em 3D, além de um documentário em que o estilista faz um jantar para Zuzu, comenta sobre o conturbado Brasil contemporâneo, traz imagens históricas e apresenta ainda o caderno da coleção apresentada em 2001.

16/12, quarta-feira, 19h30, ao vivo. Acesso gratuito.

 

OFICINA | Business Plan no Negócios de Moda, com Aldo Clécius

Quem não gostaria de materializar uma ideia empreendedora na área da moda e transformá-la em um plano de negócios cheio de ideias criativas?

Nesta oficina online, Aldo Clécius parte das narrativas dos documentários exibidos no festival e de histórias inspiradoras do mundo da moda para gerar novos empreendimentos em 5 passos.

17/12 e 18/12, quinta e sexta-feira, das 16h às 19h, ao vivo. 30 vagas. Acesso gratuito.

 

TALK | Valéria Said: “Moda & Políticas Públicas Culturais”

Mediação: Flavia Guerra.

Em 2008, a Moda foi reconhecida como patrimônio cultural pelo então Ministério da Cultura e, em 2010, entrou para o Plano Nacional de Cultura, pelo viés da Economia Criativa. Por conseguinte, foi recepcionada pela Lei Rouanet, em 2013, reforçando seu caráter criativo. Considerando-se que o tema ainda é pouco abordado entre os próprios agentes da cadeia criativa do setor e do público geral, o objetivo da palestra-aula é fazer uma introdução às diversas transversalidades ao tema, por uma perspectiva crítica ética e estética do campo da moda: culturalmente inclusiva e antirracista, eticamente sustentável, economicamente viável e criativa, socialmente justa e esteticamente diversa e admirável.

17/12, quinta-feira, 17h, ao vivo. Acesso gratuito.

 

TALK | Flávia Durante: “Moda para todos”

Mediação: Flavia Guerra.

Flávia Durante, criadora da feira Pop Plus, faz uma reflexão sobre o que a moda precisa para ser de fato diversa e inclusiva para todos os corpos. Comunicadora, DJ, empresária e ativista, Flávia produz desde 2012 em São Paulo o Pop Plus, feira de moda e cultura plus size. Ao longo destes 8 anos tem desmistificado conceitos e conselhos que mulheres (e homens também) vêm ouvindo há décadas em relação à moda. Falando sobre como a moda pode trazer dignidade para pessoas gordas, foi palestrante em 2018 no TEDx Laçador, em Porto Alegre. É embaixadora do programa #ElaFazHistória do Facebook.

17/12, quinta-feira, 19h30, ao vivo. Acesso gratuito.

 

DEBATE | Juliana Lopes e Lena Santanna: “A moda do futuro e o futuro da moda”

Mediação: Flavia Guerra.

Em tempos de pandemia, e no pós-pandemia, quais são os desafios em se pensar e fazer moda?  Das grandes marcas à moda autoral, como a moda se posicionou em 2020 e como deve se posicionar em 2021? Como pensar a Imagem de Moda, os serviços do setor, a questão ambiental e social? Como construir uma marca e um propósito em um mundo contemporâneo em constante transformação? Todas estas questões e muitas outras estarão neste encontro em grandes profissionais.

18.12, sexta-feira, 17h, ao vivo. Acesso gratuito.

 

DEBATE | Camila Reis, Clariza Rosa e Emílio Domingos: “Favela É Moda”

Mediação: Flavia Guerra e Marcelo Aliche.

O filme “Favela É Moda”, de Emílio Domingos, é um dos documentários mais celebrados dos últimos anos. Neste debate, o diretor, Camila Reis, modelo e uma das protagonistas do filme, e Clariza Rosa, empreendedora e inovadora social, se reúnem para um bate papo com Marcelo Aliche e Flavia Guerra, do Feed Dog Brasil.

18/12, sexta-feira, 19h30, ao vivo. Acesso gratuito.

 

OFICINA | O Turbante e seus significados, com Thaís Muniz

Thaís Muniz é pioneira na investigação sobre o uso de turbantes, da cultura afro-atlântica e de seus significados em diferentes contextos culturais. Este é o seu lugar no ativismo político.

Por meio do projeto Turbante-se, Thaís mostra como a beleza e o estilo podem empoderar e inspirar. Usando estampas e formas, ela conta a história da peça e seus diferentes significados. Este projeto já rodou o mundo, incluindo cidades como Los Angeles, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Londres, Amsterdã, Paris, Bruxelas, Madrid, Barcelona e Dublin, onde mora atualmente.

19/12, sábado, de 16h a 17h30, ao vivo. 80 vagas. Acesso gratuito.

 

Serviço: FEED DOG BRASIL 2020 - Festival Internacional de Documentários de Moda

15 a 20 de Dezembro de 2020 - ONLINE

gratuito 

www.feeddog.com.br

 

Sessão de Abertura:

Dia 15/12, terça, às 20h 

Pré-Estreia Nacional de "House of Cardin", de P. David Abersole e Todd Hughes

www.feeddog.com.br