quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

CENAS DE VERÃO

Que tal registrar os melhores momentos do Verão e de quebra poder participar de uma exposição na cidade de Curitiba? Esta é ação Cenas de Verão, promovida pelo tradicional curso de fotografia do Centro Europeu, uma das principais escolas de profissões e idiomas do Brasil. Para participar, basta o fotógrafo amador tirar uma foto que represente seu Verão e publicar nas redes sociais (Facebook e Instagram), até o dia 28 de Fevereiro, com a hashtag #CenasDeVerãoCEAs fotos selecionadas vão fazer parte de uma exposição especial, que ficará em cartaz na Galeria Virtual Centro Europeu, localizada no Shopping Crystal (Rua Comendador Araújo, 731- Piso L4), em Curitiba, e serão divulgadas nas redes sociais da instituição. Mais informações pelo telefone (41) 3233-6669 ou no site www.centroeuropeu.com.br.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

"AMOR EM SAMPA" DE BRUNA LOMBARDI TEM LANÇAMENTO EM CURITIBA

Bruna Lombardi também estará na cidade de Curitiba promovendo o lançamento de seu mais novo longa metragem AMOR EM SAMPA, que tem estreia comercial programada para 25 de Fevereiro.   

Bruna Lombardi, Rodrigo Lombardi, Eduardo Moscovis, Tiago Abravanel, Miá Mello, Mariana Lima, Marcello Airoldi, Letícia Colin, Bianca Müller e a curitibana Michele Mara chegam aos cinemas de todo o Brasil no dia 25 de Fevereiro com AMOR EM  SAMPA, dirigido por Carlos Alberto Riccelli e Kim Riccelli — que também atuam no filme.

A comédia romântica, com roteiro de Bruna Lombardi, retrata cinco histórias de amor e de sonhos que se entrelaçam, percorrem a intimidade das relações e mostram como todos estão conectados nessa grande rede da cidade.  AMOR EM SAMPA fala não apenas de amor, mas também dos sonhos e da força de vontade, a força motriz que move a cidade e as pessoas”, explica Bruna. A atriz e roteirista usou o humor para contar as histórias de cada um dos personagens, que se conectam e trazem temas como superação, sonhos, idealismo e amor. Tudo isso tendo como cenário — e até personagem — a capital paulista, que emprestou sua grandiosidade e lugares emblemáticos para o desenrolar da trama.

Quem leva o espectador para a divertida viagem de AMOR EM SAMPA é o taxista Cosmo (Carlos Alberto Riccelli), que largou o trabalho no escritório e se apaixonou pela vida percorrendo as ruas da cidade. Ele será uma das pessoas que ajudarão o publicitário Mauro (Rodrigo Lombardi, em seu primeiro longa metragem), a colocar em prática uma campanha de transformação na capital, que a torne um lugar com mais respeito, gentileza e amor entre as pessoas. Para concretizar esse sonho, ele busca o apoio de Aniz (Bruna Lombardi), uma empresária moldada pela frieza das corporações, mas que conserva um lado sensível em sua visão de mundo. Aniz vai viver uma relação de confronto e jogo com o ambicioso Lucas (Eduardo Moscovis), um empresário que se depara com uma paixão inesperada.

Nos encontros de Amor em Sampa, Mauro vai conhecer e se interessar por Tutti (Mariana Lima), uma estilista famosa que acaba de enfrentar um divórcio e não acredita mais no amor.  Seu assistente, o super fashion Raduan (Tiago Abravanel) tem outro problema: ele está para casar com o tímido Ravid (Marcello Airoldi), que terá de superar obstáculos para assumir seu relacionamento.

Entre o mundo da moda e os palcos, estão as amigas Mabel e Carol (Letícia Colin e Bianca Muller), duas jovens aspirantes a atriz, que sonham com a fama e o sucesso, e quando menos esperam, se veem em uma aventura com o diretor de teatro Mateus (Kim Riccelli). Quem também quer a fama é a espevitada modelo Lara (Miá Mello), que veio do interior com a amiga Gisnelly (Carol Portes) para arrumar um marido rico emSão Paulo e seduz Cosmo, aproveitando de sua boa vontade.

A música também tem papel de destaque em AMOR EM SAMPA  Em algumas cenas, o elenco solta a voz e os personagens contam suas histórias em canções cheias de humor escritas por Riccelli e Bruna.

Descoberta pela produção do filme em Curitiba, a atriz e cantora Michele Mara tem seu talento revelado em AMOR EM SAMPA. O longa marca sua estreia nas telas.

São Paulo, personagem e cenário do filme, emprestou endereços icônicos para as locações, entre eles Sala São Paulo, Jockey Club, SESC Pompéia, Parque Ibirapuera, Bienal, Avenida Paulista, Faria Lima, Metrô e Cinemateca, entre outros lugares com um olhar  novo e vibrante da cidade. AMOR EM SAMPA é a terceira coprodução da Pulsar Cinema e Coração da Selva, distribuição pela Elo Company, co produção Spcine e Globo Filmes.

SINOPSE:
Uma divertida comédia em que cada um busca seu sonho, o amor e a felicidade do seu jeito. 
A modelo Lara se enrosca com o taxista Cosmo, mas ela quer mesmo é um marido rico. O super fashion Raduan quer casar com o enrustido Ravid, mas antes exige que ele assuma a relação. Carol e Mabel, duas amigas aspirantes a atriz, disputam um papel na peça e na cama do diretor Matheus. O ambicioso Lucas tenta seduzir a rica empresária Aniz, mas ela prepara um contragolpe. O publicitário Mauro quer mostrar para Tutti que a paixão ainda é possível, e que com o amor, até uma cidade pode mudar.

Sobre AMOR EM SAMPA 
Ficha técnica:
Elenco: Bruna Lombardi, Rodrigo Lombardi, Eduardo Moscovis, Mariana Lima, Tiago Abravanel, Miá Mello, Marcello Airoldi, Kim Riccelli, Letícia Colin, Bianca Müller e Carlos Alberto Riccelli.
Direção:  Carlos Aberto Riccelli e Kim Riccelli
Roteiro: Bruna Lombardi
Direção de Fotografia: Marcello Trota, ABC
Direção de Arte: Frederico Pinto
Figurino: Andrea Simonetti
Montagem: Daniel Grinspum 
Canções: Carlos Alberto Riccelli, Bruna Lombardi e Kim Riccelli
Trilha Sonora: Zé Godoy e Conrado Goys
Produtor Delegado: Luciano Patrick
Produtora Executiva: Geórgia Costa Araújo
Produzido por: Bruna Lombardi, Carlos Alberto Riccelli e Geórgia Costa Araújo
Distribuição: Elo Company

Notas Técnicas
Carlos Alberto Riccelli dirigiu os filmes “Onde está a Felicidade?”, coprodução com a Espanha lançado pela Fox, em 2011, “O Signo da Cidade”, vencedor de onze prêmios, e o filme americano rodado em Los Angeles, “Stress, Orgasms, and Salvation (S.O.S.)”.
Kim Riccelli foi diretor assistente nos três projetos e em “Amor em Sampa” divide a direção com Carlos Alberto Riccelli. AMOR EM SAMPA é o quarto roteiro para o cinema de Bruna Lombardi. Carlos Alberto Riccelli e Bruna Lombardi também são autores das canções do projeto.
Sabesp apresenta  AMOR EM SAMPA uma produção Pulsar Cinema e Coração da Selva, em coprodução com Globo Filmes e Spcine patrocinada por Tetra Pak em copatrocínio com Nescafé, Suvinil, Mistral, Vivo, Grupo Comolatti e apoiado pela Agência Nacional do Cinema – ANCINE, Fundo Setorial do Audiovisual – FSA, BRDE, Governo do Estado de São Paulo - Secretaria de  Cultura, Prefeitura Municipal de São Paulo, CESP, Wunderman e Trousseau.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

O REGRESSO ESTREIA NO IMAX Palladium


O longa, que lidera as indicações ao Oscar em 12 categorias, ficará em cartaz por tempo limitado

 Um dos filmes mais aguardados do ano chega ao IMAX Palladium nesta quinta-feira (4).  Recorde de indicações ao Oscar 2016, O Regresso concorre em 12 categorias, incluindo melhor filme e melhor ator para Leonardo DiCaprio. O longa é dirigido pelo premiado diretor Alejandro Gonzáles Iñárritu (de Birdman) e já ganhou os principais prêmios no último Globo de Ouro, considerado um termômetro para o Oscar. Nos EUA, O Regresso lidera a bilheteria norte-americana após quase um mês em cartaz.

Na história, baseada em fatos reais, Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) parte para o oeste americano disposto a ganhar dinheiro caçando. Atacado por um urso, ele fica seriamente ferido e é abandonado à própria sorte pelo parceiro John Fitzgerald (Tom Hardy), que ainda rouba seus pertences. Entretanto, mesmo com toda adversidade, Glass consegue sobreviver e inicia uma difícil jornada em busca de vingança.

Rodado inteiramente usando luz natural, O Regresso também é favorito para vencer o Oscar de melhor fotografia. “Por isso, no IMAX a experiência será ainda mais realista”, destaca o gerente do IMAX Palladium, Edson Garcia.

O Regresso estreia em cópias dubladas e legendadas e ficará em cartaz no IMAX Palladium por tempo limitado.


Serviço:  IMAX Palladium
Filme: O Regresso IMAX 2D
Sessões dubladas:
De quinta (04) a quarta (10) -  13h20; 16h20
Sessões legendadas:
De quinta (04) a terça (09) - 19h20; 22h20
Os ingressos podem ser adquiridos pelo site ingresso.com ou diretamente na bilheteria da sala do shopping.
Av. Presidente Kennedy, 4121. Portão – Curitiba/PR
(41) 3212-3578

Sobre IMAX Palladium
O Cinema IMAX Digital possui alta tecnologia para projeção de filmes em 2D e em 3D. A tela gigante côncava proporciona imagem de alta definição seis vezes maior que as tradicionais, aliada ao som digital quatro vezes mais potente. A disposição das cadeiras possibilita um campo de visão maximizado ao público. No IMAX a tela fica mais próxima, garantindo uma imagem maior e mais nítida. Os sistemas de projeção de última geração, exclusivos do IMAX, oferecem imagens límpidas e realistas, com aproximadamente 40% mais contraste e 60% mais brilho do que em outras salas de cinemas. Cada sistema de projeção tem um equipamento exclusivo, que realça a imagem, e um sensor integrado que monitora a tela como se fossem os olhos do público, promovendo ajustes em tempo real para garantir a qualidade de imagem IMAX. Em Curitiba, o IMAX está localizado no Palladium Shopping Center. Mais informações no site www.imaxpalladium.com.br

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

FIACULT JÁ TEM INSCRIÇÃO DE MÁRIO MOITA COM O FADO AO PIANO

 



Nesta semana o FIACULT, recebeu mais inscrições para o Festival Internacional de Audiovisual do Comércio, Cultura e Turismo. O evento que terá uma pré-classificação no Brasil em Florianópolis, no mês de Setembro e a premiação final na Itália na região do Vêneto em Outubro.

Na categoria de Shows e espetáculos foi inscrito: O FADO AO PIANO, tradição de 1870 que Mário Moita ( cantor, pianista, compositor português)  recuperou pelo mundo neste vídeo: Canta Amores de Lisboa, da produtora Vera Cruz para a categoria de shows e espetáculos. Mário já esteve em diversos programas de televisão como em Jô Soares e outros por promover a sua cultura pelo mundo.  //www.google.com.br/webhp?sourceid=chrome-instant&ion=1&espv=2&ie=UTF-8#q=M%C3%A1rio+Moita e neste vídeo CANTA AMORES DE LISBOA, CANÇÃO AUTORAL (https://www.youtube.com/watch?v=YnKK3YEjFa4) você pode ter a ideia de seus maravilhosos espetáculos e contatar diretamente com ele.

Da categoria Destinos, Veranópolis saiu na frente, esta cidade e terra da longevidade, situada no interior do Estado Rio Grande do Sul (Brasil), incluiu o vídeo: Viver, Sentir e Experimentar que nos repassa o que acontece quando embarcamos numa viagem e o que estamos buscando em uma nova experiência.  Em algumas vezes, experimentamos uma sensação impossível de ser narrada mesmo em mil palavras. Talvez ela esteja embaixo de uma árvore, dentro da cave de uma vinícola, em cima de um campanário, num atelier de artesanato ou num banho de águas termais. Na maioria das vezes, a sensação não está no lugar, mas nas pessoas que vivem ali. Porque cultura é feita de gente. De gente simples, alegre e de peito aberto. Este povo que sabe os segredos da longevidade compartilha as suas vivências com as pessoas que cruzam pelo seu caminho. Essa gente das cinco cidades de colonização italiana e polonesa, no Roteiro Turístico Termas e Longevidade, reservam todo esse carinho, belezas e descobertas. Uma breve, porém marcante oportunidade de um convívio que só a sabedoria das pequenas cidades pode oferecer. É assim nesta região da Serra Gaúcha: a gente encontra sentimento de verdade. Impossível de ser fotografado, escrito ou explicado. Tem que experimentar para saber. Atuaserra - Roteiro Turístico Termas e Longevidade, veja em:
Link Do Arquivo (arquivo .mp4, Codec H.264, Mínimo 8000kpbs, Máximo 600mb Ou Links Do Vídeo No Youtube Ou Vimeo Habilitado Para Download) : https://www.youtube.com/watch?v=ybrAX1j8snU

Também na categoria Destinos, o vídeo do catarinense e Diretor de produção Gustavo Testa Correa  que retrata perfeitamente a natureza exuberante  e roteiros ecológico em Santa Catarina, sendo especificamente a Ilha do Campeche,  ao som excepcional de Uma Mattina – Ludovico Finaudi, somente assistindo ao vídeo para ter ideia das belezas e do empenho! 
Veja o  Link Do Arquivo (arquivo .mp4, Codec H.264, Mínimo 8000kpbs, Máximo 600mb Ou Links Do Video No Youtube Ou Vimeo Habilitado Para Download) : https://www.youtube.com/watch?v=U96k4DbBVPc excepcional de Una Mattina - Ludovico Einaudi

E você o que está esperando para incluir o vídeo de sua cidade, produto, parque, casa de show?! Quanto antes você incluir, mais visualizações nacionais e internacionais obterá. Estamos aguardando em www.fiacult.com (este ano você terá exibições nos cinemas do Brasil e na Itália).

Os interessados podem fazer as inscrições no site www.fiacult.com.br, ou www.fiacult.com

Dúvidas podem ser esclarecidas através do e-mail: contatofiacult@gmail.com




Esta jornalista (Alice Varajão) conhece o grande artista Mário Moita que todos os anos vem ao Brasil em turnê internacional. Se apresenta em muitos estados do país divulgando a cultura do Fado sempre acompanhado ao piano. Já tive o prazer de assistir seu recital repleto de muita história e bom humor. 

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

ORLANDO AZEVEDO EXPÕE RUINAS NO MuMA


Há mais de três décadas o fotógrafo, editor e curador Orlando Azevedo vem registrando construções desmoronadas ou abandonadas em diversos locais do país e exterior. Sessenta e uma imagens desse trabalho, em cor ou preto e branco, compõem a mostra “Ruínas”, que entra em cartaz na próxima quinta-feira (4) e permanece até 27 de março no Museu Municipal de Arte (MuMA), no Portão Cultural.

Orlando assume seu pseudônimo de Jacob Bensabat para fazer um caminho dentro de um labirinto dos interesses que tem na fotografia e suas possibilidades de expressão. Ruínas são o constante reviver e rever de uma porta oculta e do culto da morte enquanto vida e transformação”, diz o fotógrafo. A exposição deverá seguir para outros museus e espaços do Brasil. Ainda neste ano está previsto o lançamento em livro deste projeto.

Orlando Azevedo nasceu em 1949, na Ilha Terceira, em Açores (Portugal). Vive no Brasil desde 1963 e é formado em Direito. Dedica-se profissionalmente à fotografia documental em projetos especiais, assim como à criação autoral, em seu estúdio em Curitiba. É especializado em expedições e projetos de longa duração. Tem oito livros publicados.

ServiçoExposição “Ruínas”, de Orlando Azevedo
Local: MuMA – Museu Municipal de Arte – Portão Cultural (Av. República Argentina, 3430)
Data e horário: de 4 de Fevereiro (abertura às 19h30) a 27 de Março. 
De terça-feira a domingo, das 10h às 19h
Entrada franca.

CCBB APRESENTA FILMES PREMIADOS E INÉDITOS DOS IRMÃOS DARDENNE

* evento acontece de 17/02 a 7/03 e exibe 22 títulos

* programação reúne longas de ficção e documentários de início de carreira, além de obras produzidas pelos irmãos Dardenne

* debate conta com  participação da curadora Caru Alves de Souza e o crítico Sérgio Rizzo

Duas vezes premiados com a Palma de Ouro do Festival de Cannes e considerados pela crítica internacional como dos mais importantes nomes do cinema contemporâneo, os diretores, roteiristas e produtores belgas Luc Dardenne (1954) e Jean-Pierre Dardenne (1951) ganham uma inédita retrospectiva no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo.

Intitulada “Cinema Humanista – Irmãos Dardenne”, a mostra exibe um total de 22 filmes e acontece de 17 de fevereiro a 7 de março, em São Paulo. No mesmo período, o evento ocorre na unidade do CCBB do Rio de Janeiro e, de 10 a 29/02, na de Brasília.

Criadores de um estilo próprio, marcado pelo naturalismo, despojamento estético, ausência de trilha sonora e a câmera muito próxima dos atores, Luc e Jean-Pierre Dardenne trabalham com um minimalismo narrativo, sem concessões para o espectador, tendo se tornado mestres do drama social.

A curadoria é da cineasta Caru Alves de Souza, diretora do filme vencedor do Festival do Rio “De Menor”. Ela participa de debate agendado para o dia 2 de março, quarta-feira, ao lado do crítico Sérgio Rizzo, com mediação do cineasta Francisco Cesar Filho.

Estão presentes todos os títulos que consagraram os cineastas, como a sequência de premiados no Festival de Cannes, composta por “A Promessa” (1996), que conquistou o prêmio da Confederação Internacional de Cinemas de Arte e Ensaio; “Rosetta” (1999), vencedor da Palma de Ouro; “O Filho” (2002), laureado com o prêmio de melhor ator e com o prêmio do júri ecumênico; “A Criança” (2005), sua segunda Palma de Ouro; “O Silêncio de Lorna” (2008), eleito melhor roteiro; “O Garoto de Bicicleta” (2011), Grande Prêmio do Júri; e “Dois Dias, Uma Noite” (2014), outro prêmio do júri ecumênico. Este último rendeu a Marion Cotillard nada menos que oito premiações como melhor atriz.

A produção documental de Luc e Jean-Pierre Dardenne, de rara circulação e inédita no Brasil, é um dos grandes atrativos da mostra. Realizados no período de 1979 a 1983, os filmes abordam questões como a vida de exilados (“Lições de uma Universidade Voadora”), lembranças de uma greve geral (“Quando o Barco de Léon M. Desceu o Rio Meuse pela Primeira Vez”), um jornal clandestino escrito por trabalhadores (“Para dar Fim à Guerra, os Muros Precisam Cair”), rádios livre na Europa (“R... Sem Resposta”) e o escritor e dramaturgo belga Jean Louvet (“Olhe para Jonathan/Jean Louvet, sua Obra”).

Finalmente, sua frutífera carreira como produtores está representada por longas dirigidos por nomes expressivos, como “À Procura de Eric” (2009), do britânico Ken Loach, e “Além das Montanhas” (2012), do romeno Cristian Mungiu – ambos premiados em Cannes. Também estão programados “Madonas” (2007), da alemã Maria Speth, que rendeu o prêmio de melhor atriz para Sandra Hüller no Festival Internacional de Mar Del Plata; “Ferrugem e Osso” (2012), dirigido pelo francês Jacques Audiard e estrelado por Marion Cotillard, eleito melhor filme no BFI - Festival de Cinema de Londres; e “O Diário de Uma Camareira” (2015), do também francês Benoît Jacquot e estrelado por Léa Seydoux.


a curadora Caru Alves de Souza

Caru Alves de Souza lembra do impacto que viveu ao assistir pela primeira vez uma obra dos cineastas belgas. O filme era “O Filho” e, segundo a curadora, causou forte impressão a sequência onde a câmera segue a nuca de um homem (Olivier Gourmet) que desce violentamente as escadarias de um lugar que demora para se revelar.  Afirma Caru: “aquele pedaço de corpo grudado numa parede branca, com pouca luz recortada, escondendo mais do que revelando, numa duração que na época me parecia interminável, me instigou de tal maneira que quando comecei a dirigir filmes, voltei aos Dardenne para entender como eles haviam feito aquele – e outros filmes deles.”

Além do longa “De Menor”, Caru Alves de Souza assina ainda a direção dos documentários televisivos “Mascarianas” (sobre o fotógrafo Cristiano Mascaro) e “Vestígios”, sobre duas comunidades do interior de Minas Gerais que lidam com seu passado de maneiras diferentes, parte da série “Voilà Brasil”. Realizou também dois curtas-metragens de ficção: o infantil “O Mundo de Ulim e Oilut”, exibido no prestigioso Chicago Children Film Festival, e “Assunto de Família”, selecionado para festivais nos Estados Unidos, França, Suécia, Holanda, Dinamarca, Suíça, Espanha, Itália, Austrália, Israel, Portugal, Rússia, China e Colômbia. Atualmente prepara seu segundo longa-metragem “Bagdá”.
  
SOBRE OS FILMES 
A CRIANÇA (“L’Enfant”, Bélgica/França, 95 min, cor, 2005)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Uma jovem de 18 anos acaba de dar à luz a um menino. O pai, com 20 anos de idade, vive de pequenos roubos. Os dois vêem de maneira bem diferente o significado da chegada desta criança, sendo que os atos do pai em relação ao filho colocam o casal diante de sérios dilemas sobre suas existências.
Palma de Ouro de melhor filme no Festival de Cannes; melhor filme do ano pela Associação dos Críticos Cinematográficos da Bélgica; melhor direção e melhor filme estrangeiro pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Toronto (Canadá); melhor filme, melhor direção, melhor roteiro, melhor ator e melhor atriz nos prêmios Joseph Plateau (Bélgica); melhor filme, melhor direção e melhor ator no Festival Internacional de Pune (Índia)

À PROCURA DE ERIC (“Looking for Eric”, Grã-Bretanha/França/Itália/Bélgica/Espanha, 116 min, cor, 2009)
direção: Ken Loach
coprodução: Sixteen Films, Why Not Productions, Tornasol Films, Bim Diztribuzione e Les Films du Fleuve (Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne)
com Steve EvetsEric CantonaStephanie Bishop
Um carteiro britânico passa por uma crise terrível e está prestes a perder o emprego. Uma noite, e seu ídolo e jogador de futebol Eric Cantona, este aparece – como o gênio saído da lâmpada de Aladim. 
Prêmio do júri ecumênico no Festival de Cannes

A PROMESSA (“La Promesse”, Bélgica/França/Luxemburgo/Tunísia, 93 min, cor, 1996)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
com Jérémie RenierOlivier Gourmet, Assita Ouedraogo
Igor e seu pai alugam apartamentos para imigrantes ilegais e os contratam para serviços. Quando recebem uma inspeção e um dos imigrantes se acidenta na pressa de se esconder, as coisas começam a desandar.
Prêmio da Confederação Internacional de Cinemas de Arte e Ensaio no Festival de Cannes; Espiga de Ouro de melhor filme e prêmio da crítica no Festival de Valladolid (Espanha); melhor filme no Festival Internacional de Fajr (Teerã, Irã); Prêmio C.I.F.E.J. – Centro Internacional de Cinema para a Infância e Juventude no Festival Internacional de Filmes para a Infância e Juventude – Lucas (Alemanha); melhor filme francófano e prêmio do público no Festival Internacional de Namur (Bélgica); prêmio da crítica no Festival de Frankfurt; melhor filme, melhor direção e melhor atriz nos prêmios Joseph Plateau (Bélgica); melhor filme estrangeiro do ano pela Associação Nacional dos Críticos Cinematográficos (EUA); melhor filme do ano pela Associação dos Críticos Cinematográficos da Bélgica; melhor filme estrangeiro do ano pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Los Angeles (EUA); melhor filme do ano pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Seattle (EUA)

AlÉM DAS MONTANHAS (“Dupa Dealuri”, Romênia/França/Bélgica, 150 min, cor, 2012)
direção: Cristian Mungiu
coprodução: Pascal Caucheteux, Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne, Vincent Maraval, Bobby Paunescu e Grégoire Sorlat
com Cosmina Straten, Cristina Flutur, Valeriu Andriuta
Alina deseja voltar à Alemanha, enquanto Voichita está feliz no convento. A primeira passa a enfrentar constantemente um padre local. Ele, por sua vez, passa a acreditar que a jovem está possuída.
Melhor roteiro e melhor atriz (dividido entre Cosmina Straten e Cristina Flutur) no Festival de Cannes; melhor filme no Festival Internacional de Mar Del Plata
 
DOIS DIAS, UMA NOITE (“Deux Jours, Une Nuit”, Bélgica, 95 min, cor, 2014)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Na Bélgica, mulher afastada do trabalho por depressão descobre ao retornar que seus colegas aceitaram receber um bônus salarial no lugar de sua vaga. Com a ajuda de seu marido, ela tem apenas um final de semana para convencê-los a mudar de ideia, e assim manter seu emprego.
Prêmio do júri ecumênico no Festival de Cannes; melhor atriz no European Film Awards; melhor atriz pela Associação Nacional dos Críticos Cinematográficos (EUA); melhor atriz pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Nova York (EUA); melhor atriz pela votação dos críticos da Indiewire; melhor atriz pela votação do Village Voice Film; melhor atriz pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Dublin (Irlanda); melhor atriz pela Associação dos Críticos Cinematográficos da Georgia (EUA); melhor filme, melhor direção, melhor roteiro, melhor ator no Margritte Award (Académie André Delvau, Bélgica); melhor filme do ano pela Associação dos Críticos Cinematográficos da Bélgica; melhor atriz e melhor filme estrangeiro pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Boston (EUA); melhor atriz e melhor filme estrangeiro pela Associação dos Críticos Cinematográficos Online de Boston (EUA); melhor filme estrangeiro pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Denver (EUA); melhor filme estrangeiro no Prêmio Guldbagge (Suécia); melhor filme estrangeiro pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Indiana (EUA); Grand Prix pela Sociedade Internacional de Cinefilia – ICS; melhor filme do ano nos Prêmios Lumière (Académie des Lumières, França)

FALSCH (França/Bélgica, 82 min, cor, 1987)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne e René Kalisky
com Bruno Cremer, Jacqueline BollenNicole Colchat
Em um aeroporto aparentemente vazio, uma família judia espera um parente. Aeroporto, porém, é na verdade ante-sala da morte, e o parente que esperam, um sobrevivente do Holocausto.

FERRUGEM E OSSO (“De Rouille et d’Os”, França/Bélgica, 120 min, cor, 2012)
direção: Jacques Audiard
produção: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne,  Annemie Degryse e Alix Raynaud
com Marion Cotillard, Matthias Schoenaerts, Armand Verdure
Rapaz desempregado parte com seu filho de cinco anos para a casa da irmã em busca de ajuda e logo consegue um emprego como segurança de boate. Um dia, ao apartar uma confusão, ele conhece uma bela treinadora de orcas. Alain a leva em casa e deixa seu cartão com ela, caso precise de algum serviço. Pouco tempo depois, ela sofre um grave acidente que mudaria sua vida para sempre.
Melhor filme no BFI - Festival de Cinema de Londres; Prêmio Cisne de Ouro de melhor filme no Festival de Cinema Romântico de Cabourg (França); melhor roteiro adaptado, melhor música, melhor ator promissor e melhor montagem nos Prêmio César; melhor filme e melhor atriz nos Prêmios Globes de Cristal (Associação Francesa de Imprensa); melhor atriz no Festival Internacional do Havaí (EUA); melhor atriz do ano nos Prêmios de Cinema Hollywood (EUA); melhor atriz internacional do ano nos Prêmios Irlandeses de Cinema e Televisão; melhor atriz e prêmio especial de melhor filme europeu nos Prêmios Italianos de Cinema Online; melhor filme estrangeiro pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Londres; melhor direção e melhor roteiro nos Prêmios Lumière (Académie des Lumières, França); melhor ator coadjuvante nos Prêmios Magritte (Académie André Delvaux, Bélgica); melhor direção, melhor ator e melhor roteiro no Festival de Valladolid (Espanha); melhor filme, melhor atriz, melhor ator revelação, melhor roteiro e melhor música original nos prêmios Estrelas de Ouro (Academia de Francesa de Crítica Cinematográfica); melhor ator nos Prêmios CinEuphoria

O MUNDO CORRE (“Il Court, Il Court, le Monde”, Bélgica, 10 min, 1987)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne
com Jean-Paul Dermont, John Dobrynine, François Duisinx
Um diretor de TV está preparando um programa quando é chamado por sua namorada e tem que sair às pressas. Sua edição vai ser modificada pelo produtor do programa, sua namorada vai causar um acidente.

A LINHA DE FRENTE (“La Prima Linea”, Itália/Bélgica/Grã-Bretanha/França, 100 min, cor, 2009)
direção: Renato De Maria
produção: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne e Andrea Occhipinti
com Riccardo Scarmacio, Giovanna Mezzogiorno, Fabrizio Rongione
Na penumbra de sua cela, um homem italiano recorda – com compreensão, sinceridade e remorso – suas façanhas juvenis como um extremista político.
Prêmio Euroimages no Festival de Cinema Europeu de Sevilla (Espanha)

O LEITE DA TERNURA HUMANA (“Le Lait de la Tendresse Humaine”, França/Bélgica, 94 min, cor, 2001)
direção: Dominique Cabrera
coprodução: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
com Patrick, Bruel, Marilyne Canto, Bruno Salvador
Mulher, assustada com a maternidade e seu bebê recém-nascido, foge de sua casa e da família para encontrar um abrigo com o vizinho do andar de cima.
 
LIÇÕES DE UMA UNIVERSIDADE VOADORA (“Leçons d’une Université Volante”, Bélgica, 55 min, cor, 1982)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Documentário sobre cinco exilados poloneses que, entre 1930 e dezembro de 1981, emigraram para a Bélgica para sobreviver. 

QUANDO O BARCO DE LÉON M. DESCEU O RIO MEUSE PELA PRIMEIRA VEZ (“Lorsque le Bateau de Léon M. descendit la Meuse pour la Premiére Fois”, Bélgica, 44 min, cor, 1979)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Documentário. Leon Masy desce o rio Mosa em um barco que construiu em sua garagem, atravessando cidades industriais e relembrando a greve geral que tomou a Bélgica em 1960. 

MADONAS (“Madonnen”, Alemanha/Suíça/Bélgica, 125 min, cor, 2007)
direção: Maria Speth
coprodução: Pascal Trächslin, Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne e Olivier Bronckart
com Sandra Hüller, Luisa Sappelt, Coleman Orlando Swinton
Depois de ter sido negligenciado quando criança, Rita dá à luz a seis filhos. Agora, ela desafia sua mãe a estar presente como figura materna na vida de seus netos.
Prêmio de melhor atriz no Festival Internacional de Mar Del Plata

O DIÁRIO DE UMA CAMAREIRA (“Journal d'une Femme de Chambre”, França/Bélgica, 96 min, cor, 2015)
direção: Benoît Jacquot
coprodução: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne e Delphine Tomson
com Léa Seydoux, Vincent Lindon, Clotilde Mollet
A jovem camareira Célestine, muito cobiçada por sua beleza, acaba de chegar de Paris para trabalhar para uma família. Enquanto foge dos flertes de seu patrão, ela deve lidar com a rigorosa personalidade de Madame Lanlaire, que governa o lar com punho de ferro. Ao mesmo tempo, Célestine conhece um misterioso jardineiro com ideias políticas subversivas. Terceira adaptação cinematográfica do romance homônimo do francês Octave Mirbeau, publicado em 1900. 

O EXÉRCIO DO PODER (“L’Exercice de L’Etat”, França/Bélgica, 115 min, cor, 2011)
direção: Pierre Schoeller
produção: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne e Denis Freyed
com Olivier Gourmet, Michel Blanc, Zabou Breitman
O Ministro dos Transportes é acordado em plena noite pelo diretor do seu escritório. Um ônibus repleto de crianças acabou de cair num penhasco. Ele dirige-se imediatamente ao local. Começa assim a odisseia na vida de um político, entre correria, luta de poderes, negociações, crise econômica... 
Prêmio da crítica na seção Um Certain Regard do Festival de Cannes; melhor ator coadjuvante, melhor roteiro original e melhor som no Prêmio César; melhor filme do ano pela Federação dos Críticos Cinematográficos da França; melhor roteiro nos Prêmios Lumière (Académie des Lumières, França); melhor ator, melhor som e melhor filme estrangeiro em coprodução nos Prêmios Magritte (Académie André Delvaux, Bélgica)

O GAROTO DA BICICLETA (“Le Gamin au Vélo”, Bélgica/França/Itália, 87 min, cor, 2011)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Um garoto tem por objetivo encontrar o pai, que o deixou em um orfanato. Por acaso ele conhece a administradora de um salão de cabeleireiro, que permite que passe os fins de semana com ela. Entretanto, ele não consegue reconhecer o carinho com o qual é tratado, graças à raiva que sente por ter sido abandonado pelo pai.
Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes; melhor ator promissor no Margritte Award (Académie André Delvau, Bélgica); melhor filme estrangeiro pela Associação dos Críticos Cinematográficos de San Diego (EUA)

O FILHO (“Le Fils”, Bélgica/França, 103 min, cor, 2002)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Um carpinteiro tem como aprendiz o jovem que assassinou seu próprio filho. O moço não sabe que aquele é o pai de sua vítima no passado. Ambos se relacionam no mesmo ambiente de trabalho até que o pai decide expor o que sabe sobre o jovem.
Prêmio de melhor ator e prêmio do júri ecumênico no Festival de Cannes; melhor filme do ano pela Associação dos Críticos Cinematográficos da Bélgica; melhor filme e melhor ator no Festival Internacional de Fajr (Teerã, Irã); melhor direção e melhor filme belga nos prêmios Joseph Plateau (Bélgica)

O SILÊNCIO DE LORNA (“Le Silence de Lorna”, Bélgica/França/Itália/Alemanha, 105 min, cor, 2008)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Lorna deseja se tornar sócia em uma lanchonete e para adquirir a nacionalidade belga aceita se casar com Claudy, capanga de um mafioso. Após certo tempo ela se vê mais uma vez obrigada a se casar, desta vez com um mafioso russo. Para que este novo compromisso seja selado, ela precisa matar Claudy.
Prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes; melhor filme do ano nos Lumière Awards (Académie des Lumières, França); melhor filme do ano no Prêmio Lux (Parlamento Europeu)
 
PARA POR FIM À GUERRA, OS MUROS PRECISAM CAIR (“Pour que La Guerre S’achéve, lês Murs Devaient S’écrouler” Bélgica, 47 min, cor, 1980)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Documentário sobre um jornal clandestino escrito por trabalhadores da fábrica Cockerill entre 1961 e 1969.
 
R... SEM RESPOSTA (“R... ne Répond Plus”, Bélgica, 55 min, cor, 1981)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Documentário sobre sete rádios lives da Alemanha, Bélgica, Itália e Suíça visitadas durante três meses pelos realizadores. No título, "R" é o real. 
 
OLHE PARA JONATHAN/ JEAN LOUVET, SUA OBRA (“Regar Jonathan/Jean Louvet, son Oeuvre”, Bélgica, 55 min, cor, 1983)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Documentário sobre o escritor e dramaturgo belga Jean Louvet (1934-2015) que focaliza seu trabalho. Um mundo teatral onde os sinais de utopia social, a história que rivalizam com a ausência de imobilidade e de morte têm sido predominantes.

ROSETTA (Bélgica/França, 95 min, cor, 1999)
direção: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
roteiro: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Uma jovem impulsiva vive em um trailer com sua mãe alcoólatra e agressiva. Sua vontade de mudar de vida é tanta que todos os dias ela luta muito, buscando um emprego. E nesta sua luta cotidiana para sair da pobreza e levar uma vida "normal", vale tudo.
Palma de Ouro de melhor filme, prêmio de melhor atriz e menção especial do prêmio do júri ecumênico no Festival de Cannes; melhor filme do ano pela Associação dos Críticos Cinematográficos da Bélgica; melhor direção no Prêmio Internacional Flaiano (Itália); melhor direção nos prêmios Joseph Plateau


Serviço:  “Cinema Humanista – Irmãos Dardenne”
retrospectiva com filmes dirigidos e produzidos pelos cineastas Luc Dardenne e Jean-Pierre Dardenne 
patrocínio e apresentação: Banco do Brasil e Ministério da Cultura
realização: Centro Cultural Banco do Brasil
curadoria: Caru Alves de Souza
produção: Associação do Audiovisual

Período: de 17 de Fevereiro a 7 de Março de 2016


ingressos: R$4,00 (inteira) R$2,00 (meia)
Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo
Rua Álvares de Azevedo 112 – Centro – São Paulo – SP – tel (11) 3113.3651.